Pesquisadores, empresários e autoridades do Governo do Estado participam da 1ª Reunião Geral dos NAPIS
07/04/2021 - 23:10

A 1ª Reunião Geral dos NAPIs, que teve início nesta quarta-feira (7) e segue na manhã desta quinta-feira (8), contou com a participação online de mais de 160 pessoas no primeiro dia. Realizada pela Fundação Araucária e pela Superintendência de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Seti), o encontro tem o objetivo de apresentar o andamento dos trabalhos desenvolvidos pelos Novos Arranjos de Pesquisa e Inovação (NAPIs). 


“Esta parceria com todos vocês é extraordinária. Nós temos que servir a sociedade paranaense e brasileira. E temos esta possibilidade de contribuir com a criação de riqueza e geração de empregos de alto valor agregado. Os nossos NAPIs vão possibilitar que isso efetivamente aconteça”, disse o presidente da Fundação Araucária Ramiro Wahrhaftig na abertura do encontro. 


O superintendente da Seti, Aldo Bona, salientou a importância da efetiva atuação de todos os integrantes dos NAPIs em cada área de atuação. “Não basta o processo de concepção de uma nova modalidade de indução e financiamento da pesquisa e inovação se eles, efetivamente, não apresentarem resultados, projetos e ações. Que demonstrem que o Paraná tem expertise e condições de sustentar o desenvolvimento da ciência e da tecnologia naquela área”, afirmou. 


A criação de NAPIs está prevista no Plano de Gestão 2019-2022 da Fundação Araucária visando essencialmente o fortalecimento dos ecossistemas de inovação de interesse do Estado. Além de possibilitar um novo modelo de fomento.
Para o superintende Geral de Inovação, Henrique Domakoski, a aproximação do setor produtivo com as universidades é fundamental para o desenvolvimento de uma região. “É impressionante o potencial que temos nas mãos. Temos um sistema de ciência, tecnologia e inovação muito rico e que contribui, significativamente, com a geração de emprego e renda”, salientou. 


Por meio dos NAPIs, a Araucária tem mobilizado e integrado os ativos do Estado, englobando as universidades estaduais, federais, privadas e institutos de ciência e tecnologia, no intuito de produzir soluções técnico-científicas para as demandas de desenvolvimento do Estado, gerando riqueza e bem-estar.


"Os NAPIs em si constituem uma proposta sociotécnica que materializa uma série de princípios, todos levando a uma maior contribuição mais assertiva do nosso Sistema de Ciência e Tecnologia ao desenvolvimento socioeconômico do nosso Estado e ao desenvolvimento humano”, destacou o diretor de Ciência, Tecnologia e Inovação da FA Luiz Márcio Spinosa. 


Nos dois dias de evento, serão apresentados os 23 NAPIs já lançados. São eles: Águas, Startup Life, Genômica, Saúde, Segurança Pública, Bioinformática, Hidrocarbonetos, Trinacional, Agro, Oeste, Sudoeste, Biogás, Biodiversidade, Solar, Nano, Educação para a Ciência, Aeronaves, TaxOnline, Norte, Manna, Litoral, Centro-Sul e Automotivo. 


Os representantes dos NAPIs apresentados nesta quarta-feira, destacaram a importância do trabalho realizado em cada área.
•    NAPI Águas – Professora Yara Moretto, diretora do Setor Palotina da Universidade Federal do Paraná. “O NAPI Águas é uma excelente iniciativa do Governo do Estado, através da SETI e Fundação Araucária, pois abrange um tema essencial e estratégico para vários setores e demandas, no estado do Paraná. Para mim é uma grande alegria e responsabilidade ser a facilitadora do NAPI Águas, junto à Fundação Araucária.” 

•    NAPI Startup Life – Marcia Cavalcante líder de open innovation da Celepar. “O NAPI busca apoiar as startups durante seu ciclo de vida em torno de desafios ligados ao desenvolvimento do Estado. Faz parte do novo arranjo o Startup Match, uma parceria entre a Celepar e a Fundação Araucária, que tem como objetivo aproximar universidades, especialistas e pesquisadores paranaenses no processo de consolidação de startups, com grande potencial de inovação. Busca auxiliar startups paranaenses para que tenham acesso aos ativos de inovação e tecnologia do Estado, e, ao mesmo tempo, possibilitar conexões e identificar aqueles que podem impulsionar os seus projetos. O programa funciona como uma espécie de ‘Tinder da inovação’ para unir especialistas e startups para fazer os projetos fluírem, priorizando o fomento do apoio técnico e científico focado na busca de soluções de desafios no desenvolvimento do empreendimento ou produto da startup. É um projeto que atende a demanda do setor produtivo, fazendo o melhor match com os ativos humanos do Estado. Tivemos 70% de percentual onde ocorreram matches." 

•    NAPI Genômica – Professor David Livingstone Figueiredo, chefe do Departamento de Medicina da Universidade Estadual do Centro-Oeste do Paraná (Unicentro). “O Estado do Paraná, com a criação do NAPI Genômica assume um papel de protagonismo na pesquisa genômica. A plataforma criada associada a mais de 220 pesquisadores nos dá condição de desenvolver pesquisas inéditas, inclusive com ênfase em pesquisas aplicadas na busca de desenvolvimento de soluções em saúde humana, animal e agricultura. A criação do vale do genoma traz um avanço muito rápido, pois conseguimos associar genômica e inteligência artificial, num ambiente que envolve o estado, a academia e a iniciativa privada. Construindo um ecossistema de inovação inédito no Brasil, agregando os diferentes níveis de conhecimento (H4-H1) , da academia a indústria, na busca de solução de problemas que afetam a população e a economia do Paraná e do Brasil.”

•    NAPI Saúde – Professora Priscila Antunes Tsupal, coordenadora do PPSUS do Estado na Fundação Araucária.  “O NAPI Saúde está diretamente vinculado à área prioritária do Governo do Estado como essencial para o fortalecimento da Rede Paranaense em Saúde. O PPSUS é um Programa que se constitui como um dos mais robustos de fomento à pesquisa na área de Saúde no Brasil. Está cada vez mais consolidado no âmbito do Estado. Dos 40 projetos aprovados nessa ultima chamada, 10 estão relacionados diretamente ao combate à Pandemia do novo Coronavírus, além das áreas de Atenção Materno Infantil, Doenças Crônicas Não Transmissíveis e Agravos, Economia e Gestão em Saúde e Desenvolvimento de Tecnologias e Inovação em Saúde.”
Marcos Aurelio Pelegrina, assessor da Coordenadoria de Ciência e Tecnologia da Seti. “O edital de Combate à Pandemia foi uma grande ação do NAPI e a maior iniciativa de extensão brasileira no combate ao coronavírus. O programa contratou mais de mil bolsistas, entre profissionais e estudantes da área da saúde, para atuar em ações preventivas, de tratamento e de esclarecimentos sobre a doença. Ao todo, foram investidos R$ 14,5 milhões na iniciativa, beneficiando muitos municípios do Paraná. Entre as principais ações estão a Telemedicina Paraná/Saúde Paraná Online, a Central de Informações, ações nas divisas do Estado, nas Unidades de Saúde, Laboratórios e Hospital do Trabalhador, além do Depen.”

•    NAPI Segurança Pública – Diretor da Secretaria da Segurança Pública, coronel João Alfredo Zampieri. “A importância se dá porque identificamos algumas demandas, em especial na área de processos de trabalho e tecnologia, e entendemos que o trabalho conjunto com o meio acadêmico possibilita encontrar soluções de maneira mais rápida e com excelência.”

•    NAPI Bioinformática – Professor da Universidade Estadual de Ponta Grossa, Roberto Ferreira Artoni.  "O NAPI Bioinformática, tem características integradoras entre questões e dados moleculares (OMICs), do agronegócio e da saúde com o desenvolvimento e aplicação de soluções computacionais de interesse do Estado, da empresa e em prol da sociedade. A formação de mestres e doutores nessas tecnologias e o domínio da computação de alto desempenho fazem parte da missão do NAPI Bioinformática."

•    NAPI Hidrocarbonetos – Professor da UFPR Luiz Pereira Ramos. “O NAPI HCR está sendo criado para fomentar, organizar, integrar e coordenar ações de pesquisa, desenvolvimento e inovação associadas a tecnologias emergentes para a produção de hidrocarbonetos renováveis, tais como biogasolina, diesel verde e bioqueronese de aviação. Com isso espera-se elevar o Estado do Paraná a uma condição de liderança nessa área de pesquisa e desenvolvimento, proporcionando um fortalecimento expressivo de nosso sistema de pós-graduação e o incentivo ao desenvolvimento de soluções disruptivas para o setor de bioenergia.”

Confira as apresentações do primeiro dia no link https://www.youtube.com/watch?v=thzvfg7mDIg&t=1459s 

O segundo dia de evento pode ser acompanhado pelo canal da Fundação Araucária no YouTube a partir das 8h30 da manhã desta quinta-feira (8). 
 

Últimas Notícias