Napi da Segurança inicia com ações no IML e na Polícia Científica
04/09/2020 - 18:15

O Governo do Estado anunciou, nesta sexta-feira (4), durante o lançamento do Novo Arranjo de Pesquisa e Inovação (NAPI) da Segurança Pública, o investimento de R$ 565 mil para a implantação de ações de pesquisa e desenvolvimento (P&D) na Polícia Científica e de extensão no Instituto Médico Legal (IML).


O Napi tem como principal objetivo mobilizar o Sistema de Ciência, Tecnologia e Inovação do Paraná para atendimento às demandas técnicas e científicas da Segurança Pública. 


“Este é um momento muito especial em que se unem instituições importantes do Estado para que possamos transformar o Paraná em um Estado inovador, moderno e dinâmico. Parabenizo a todos pela iniciativa de fazer com que a academia participe efetivamente do sistema de Governo do Estado do Paraná e que seja protagonista para que consigamos fazer esta transformação com qualificação”, destacou o vice-governador Darci Piana. 


O presidente da Fundação Araucária, Ramiro Wahrhaftig, afirmou que a Fundação tem realizado ações alinhadas com o Plano de Governo, de fazer com que o Sistema de Ciência, Tecnologia, Inovação e Ensino Superior seja percebido pela sociedade paranaense como um bem comum. “Temos um dos sistemas mais robustos do País com as nossas 12 instituições públicas de ensino superior e as instituições privadas. Bem distribuído em todo o estado e que tem contribuído para levar o Paraná a um nível de desenvolvimento expressivo.”


“Estamos trabalhando com a criação dos NAPIs, aproveitando os 20 mil doutores, 22 mil mestres e todos os especialistas que temos no Estado para atender às demandas da população”, disse o presidente. 


Os NAPIs permitem a produção de conhecimento de forma colaborativa pelos pesquisadores paranaenses, incitados por demandas reais de desenvolvimento de setores estratégicos para o Estado. Contam com recursos financeiros das chamadas públicas da Araucária e de seus parceiros.


Para o secretário da Segurança Pública do Paraná (SESP), coronel Romulo Marinho Soares, trata-se de um momento ímpar de integração das universidades com a Secretaria. “É uma satisfação contarmos com as universidades e a Fundação Araucária para nos ajudar a construir um Plano Estadual de Segurança Pública para os próximos 15 anos. Temos procurado, dia e noite, buscar uma solução para que a gente possa, cada vez mais, atender e zelar pela sociedade paranaense”, disse. 


“Essa vai ser uma grande oportunidade para que nós no Paraná, e talvez essa iniciativa sirva de modelo em nível nacional e internacional,possamos levantar soluções para a segurança pública com uma visão estratégica”, completou o chefe da Assessoria de Planejamento Estratégico da SESP coronel João Alfredo Zampieri. 


Ao apresentar a estratégia NAPI, o diretor de Ciência, Tecnologia e Inovação da Araucária, Luiz Márcio Spinosa, explicou como o Sistema de Ciência e Tecnologia do Estado pode prover soluções para a segurança pública. “Temos cerca de 700 doutores na área de segurança pública que poderão contribuir para atender às demandas do Governo do Estado, além dos milhares de pesquisadores paranaenses que podem ser mobilizados com os instrumentos de fomento que dispomos.”


“Este NAPI inicia com duas ações principais, uma com a atuação de bolsistas no IML com o recurso de R$ 234 mil e estamos trabalhando para atender a outra demanda específica da Polícia Científica com R$ 331 mil”, enfatizou o diretor. 


O superintendente da SETI, Aldo Bona, ressaltou que o NAPI da Segurança nasce com importantes ações já em andamento. “Estamos discutindo com a UFPR, que tem um Centro Interdisciplinar de Ciências Forenses, e aí eu reforço o convite aos nossos reitores que façam a indicação dos nomes de especialistas na área de ciências forenses das nossas universidades, para que consigamos estruturar a Rede de Ciências Forenses no Estado do Paraná. Isto posicionará o nosso Estado como referência da aproximação da academia com a segurança pública.”


“Esta semana também tivemos uma reunião com a Polícia Científica e a coordenação da Rede Genômica do Paraná para aproximar toda a infraestrutura com o tema do DNA na solução de vários assuntos de interesse da Polícia Científica”, comentou o superintendente. 


A presidente da Associação Paranaense de Instituições de Ensino Superior Público (APIESP) e reitora da Universidade Estadual do Norte do Paraná (UENP), Fátima Padoan, anunciou a criação do mestrado profissional em Segurança Pública. “Aproveito este momento para apresentar uma ação que a UENP e a UEM estão desenvolvendo. Estamos em fase final de elaboração de um projeto para proposição de um Programa de Mestrado Profissional na área de segurança pública. É o primeiro programa neste sentido no Paraná. Será na modalidade EAD, portanto o alcance dele será bem amplo”, ressaltou. 


Assista à cerimônia de lançamento do NAPI da Segurança no canal da Fundação Araucária no YouTube. 

Últimas Notícias