Governo lança editais voltados às universidades estaduais para alavancar retomada da economia
14/12/2021 - 13:37

O Governo do Estado lançou nesta terça-feira (14) os primeiros editais para estruturação e início das atividades da Agência de Desenvolvimento Regional Sustentável e de Inovação (Ageuni), no âmbito do Programa de Estímulo às Ações de Integração Universidade, Empresa, Governo e Sociedade. Somando R$ 3,4 milhões, as duas chamadas públicas são direcionadas às sete universidades estaduais, onde serão instaladas as unidades da Ageuni.

Os recursos são do Fundo Paraná, por meio de suplementação orçamentária da Superintendência de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior do Paraná (Seti) para a Fundação Araucária de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico.

Um dos editais se refere à composição dos espaços físicos da Ageuni. Serão alocados R$ 224 mil para cada universidade estadual, totalizando mais de R$ 1,5 milhão. Os recursos serão aplicados na adequação de espaços, aquisição de equipamentos e mobiliários, além de bolsas no valor mensal de R$ 2 mil, para o período de um ano.

O outro edital refere-se ao subprograma Paraná Empreende Mais, que consiste na oferta de cursos de capacitação gerencial e mercadológica para empreendedores individuais e micro, pequenos e médios empresários. Essa ação contempla seis propostas de R$ 260,4 mil e um projeto no valor de R$ 308,4 mil, somando montante superior a R$ 1,8 milhão.

O superintendente de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Aldo Nelson Bona, explica que o intuito é proporcionar aos empreendedores paranaenses conhecimento e qualificação para alavancar os negócios. “Passada a fase mais crítica e restritiva da pandemia do novo coronavírus, o cenário de retomada econômica foca no crescimento de empresas existentes, no incentivo à abertura de novos negócios e no fortalecimento da cultura empreendedora”, afirmou.

Ele destacou, ainda, os aspectos de governança da Ageuni, que envolve a sociedade civil organizada, com foco no desenvolvimento sustentável. “As regiões vão definir, junto com as universidades, os projetos importantes para gerar desenvolvimento, riqueza, renda e bem-estar para a população. Essa ação é possível devido à robustez e capilaridade do Sistema Estadual de Ensino Superior, que permite a execução de projetos de desenvolvimento local e regional, valendo-se da estrutura universitária”, ressaltou o superintendente.

O diretor de Ciência, Tecnologia e Inovação da Fundação Araucária, Luiz Márcio Spinosa, destaca que a estratégia se baseia na capacidade de atuação das instituições de ensino superior para o desenvolvimento regional e territorial. “Os projetos serão orientados para a inovação e o desenvolvimento sustentável, por meio de ações que promovam o desenvolvimento produtivo e social, o acesso a serviços públicos e educação e qualificação profissional”, acrescentou.

Para o presidente da Fundação Araucária, Ramiro Wahrhaftig, o Paraná tem um excepcional Sistema de Ciência, Tecnologia e Inovação que está fazendo toda a diferença no desenvolvimento do Estado. “A inovação está entre as prioridades do governo estadual e se faz presente em todos os órgãos, refletindo em parcerias importantes com toda a sociedade. Essa atuação das universidades na comunidade é fundamental”, enfatizou.

CRONOGRAMAS – De acordo com os cronogramas dos editais, as propostas para ambas as chamadas públicas devem ser enviadas pelas universidades estaduais até 31 de janeiro. Os resultados serão divulgados nos dias 7 de fevereiro e 10 de março, respectivamente. A indicação de bolsistas para atuar na Ageuni e no subprograma Paraná Empreende Mais será feita em fevereiro do próximo ano.

QUALIFICAÇÃO – O Paraná Empreende Mais prevê a oferta de quatro cursos na modalidade remota, em cada uma das instituições estaduais de ensino superior, ao longo de um ano. O conteúdo programático está organizado em oito disciplinas, abrangendo quatro módulos: gestão estratégica e de pessoas, gestão de negócios e comercial, gestão financeira e inovação tecnológica.

Professores e estudantes das universidade estaduais do Paraná vão atuar como orientadores e mentores. Além disso, conforme previsto no edital, cada instituição terá dotação de R$ 30 mil para contratação de palestrantes de renome. A expectativa é capacitar 700 empreendedores por turma (100 alunos por turma/universidade), totalizando 2.800 alunos em 12 meses. A carga horária dos cursos será de 72 horas para cada turma (seis horas semanais).

“A qualificação dos empreendedores vai incentivar a criação de novos negócios, contribuindo para a geração de trabalho, emprego e renda e, consequentemente, para o desenvolvimento socioeconômico do Paraná”, explica o coordenador de Ciência e Tecnologia da Seti, Marcos Aurélio Pelegrina.

AGEUNI – Idealizada pela Superintendência de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, a Ageuni está alinhada com o Marco Legal da Ciência, Tecnologia e Inovação do Paraná – Lei Estadual de Inovação e Lei de Fundações de Apoio. O programa foi lançado em outubro de 2021 e visa aumentar a competitividade das empresas paranaenses, agregando tecnologia aos processos de produção de bens e serviços.

A iniciativa contempla quatro eixos temáticos: parceria entre universidade e empresa; inovação e apoio para microempreendedores individuais (MEIs), micro e pequenas empresas (MPEs), cooperativas, associações e empreendimentos solidários; universidade empreendedora; e universidade e desenvolvimento regional sustentável.

Além da Fundação Araucária e das universidades estaduais, a Ageuni conta com o apoio das secretarias de Estado da Fazenda e do Planejamento e Projetos Estruturantes e da Fomento Paraná. Nas instituições de ensino superior, a gestão de recursos financeiros do programa é realizada pelas Fundações de Apoio.

O Governo está elaborando um decreto para instituir a Ageuni na política estadual de incentivo à inovação e à pesquisa científica e tecnológica do Paraná, e estimular a sinergia entre os atores regionais dos diferentes ecossistemas de inovação.

Fonte: Seti