“A Fundação Araucária foi essencial para a realização do meu sonho”, afirmou a cantora lírica Gabriella Di Laccio
11/02/2021 - 23:29

Aos 23 anos de idade, a musicista Gabriella Di Laccio vê os seus sonhos começarem a serem realizados, quando passa a estudar em Londres no Royal College of Music. Nascida em Canoas, no Rio Grande do Sul, desde muito pequena sempre ouviu música em casa e participou de corais  a partir dos 6, 7 anos, mas afirma que a vontade de cantar  música clássica nasceu com ela e não por influências familiares ou externas.

Gabriella aos 16 anos já estava cursando Arquitetura, e ao mesmo tempo, participava de eventos, ia a concertos, cantava na Orquestra Sinfônica  - OSPA, mas a faculdade acabava tomando muito o seu tempo e a música acabou ficando um pouco de lado, esse fato a incomodou muito, portanto teve que escolher.

O momento da escolha da musicista para decidir se continuaria com a Arquitetura ou se investiria na carreira artística foi em Pelotas, pois fazia parte de um pequeno grupo que se apresentou em um concerto junto com dois grandes cantores – Neyde Thomas e Rio Novello. A musicista Neyde Thomas sempre foi sua referência pois era uma cantora lírica brasileira com carreira internacional que ministravam aulas na Escola de Belas Artes do Paraná. Foi nesta oportunidade que Gabriella escolheu estudar com a melhor professora, com sua referência e optou por mudar-se para Curitiba para curar o  Bacharelado em canto lírico.
 

Já no Paraná, Gabriella passou a integrar o renomado grupo Camerata Antiqua de Curitiba  e por sugestão do maestro inglês Gerard Galloway, prestou audição para continuar seus estudos no prestigioso Royal College of Music – em Londres.Passou na seletiva, mas precisava do financiamento de uma bolsa para poder estudar  no exterior. É aqui que entra o papel fundamental da Fundação Araucária, na qual concedeu esta bolsa, em 2001, para a musicista poder concretizar seu sonho.


“A Fundação Araucária foi importantíssima no meu caminho, é uma peça fundamental, pois são pouquíssimas instituições que valorizam a arte, e a arte e a ciência caminham juntas com relação à riqueza de benefícios que possuem e que podem disponibilizar às pessoas”, destacou Gabriella.

A musicista complementa ainda que qualquer pessoa que sinta o chamado para a carreira artística e tem a coragem de escutar e seguir e ir em frente sem desistir, possui atitudes louváveis e admiráveis. “Tenho muita sorte de ter tido coragem em seguir, de ter escutado meu chamado e de não ter desistido porque se eu não tivesse seguido esse chamado, de alguma forma eu nunca me sentiria completa, não seria feliz por inteira. A minha família também faz parte desta minha força, pois não tínhamos recursos financeiros, mas sempre tive apoio incondicional deles”.


O presidente da Fundação Araucária - Ramiro Wahrhaftig, no ano em que Gabriella conseguiu a bolsa de estudos, era secretário estadual da ciência, tecnologia e ensino superior e fez questão de apoiar o financiamento dos estudos da musicista. “A Araucária possui uma missão extremamente importante que promove o desenvolvimento não só da área acadêmica do Estado, mas também da social, política e econômica. O financiamento das bolsas de pesquisa e pós-graduação é uma das grandes ações que a instituição possui, nos 10 últimos anos por exemplo, foram concedidas aproximadamente 27 mil bolsas”, ressaltou Ramiro.

Em Londres, Gabriella passou por diversos desafios por ser outra cultura, outra língua e porque os alunos do Royal College possuíam um nível altíssimo e foi muito difícil não se comparar com todos eles.Por outro lado, quando a musicista terminou seus estudos começou a se perceber e a se  aceitar por completo, como uma artista brasileira que é, uma artista que faz seu trabalho com toda dedicação com o intuito de inspirar as pessoas através da música.

Percebeu o que era mais importante para ela: criar uma ponte de comunicação entre o palco e o público, pois este é o trabalho do artista, estar a serviço da música. “Cada momento em que eu estou no palco é um presente, um momento único. Tenho muita sorte de fazer algo que amo, de fazer arte deste mundo tão inspirador que é o mundo da música. Se eu puder inspirar uma pessoa em um concerto, para mim, já terá valido a pena”.
 

PROJETO DONNE - Women in Music

Há mais ou menos cinco anos, Gabriella descobriu milhares de mulheres compositoras na história da música que haviam sido totalmente negligenciadas na sua educação musical. Foi um momento divisor de águas na carreira da artista.

“É claro que sempre fui a favor da igualdade e diversidade, mas me dei conta de que eu não estava fazendo nada efetivamente como artista para demonstrar este fato. Quero ser uma artista relevante dentro e fora do palco”, contou Gabriella.

Os homens escreviam os relatos e tiravam os nomes das compositoras dos livros de histórias, e outras compositoras ofereciam suas letras para os seus maridos assinarem, então, existem  várias histórias perdidas porque não foram contadas.

Com isso, a musicista Gabriella resolveu criar o Projeto Donne que tem como objetivo amplificar as histórias e as músicas das mulheres. “Temos milhares de mulheres para nos inspirar, e devemos colocá-las em destaque, pois muitos anos precisam ser recuperados”, relata Gabriella.

Com a pandemia do coronavírus e paralisação dos concertos presenciais, a cantora pôde se dedicar  totalmente no desenvolvimento do projeto das mulheres na música, no Projeto Donne. Conseguiu aumentar a lista de mulheres  para mais de cinco mil, elaborar conteúdos para o site como vídeos, podcasts, e de organizar para os próximos meses eventos que contarão com mais brasileiros envolvidos. Outra novidade é que agora o Projeto se transformou em uma fundação de caridade que tem como principal propósito fazer diferença na vida das mulheres na música, e não apenas falar sobre isso.

Gabriella foi apontada pela BBC como uma das 100 mulheres mais inspiradoras e influentes no mundo em 2018, a soprano multi-premiada é hoje uma das principais vozes na luta pela igualdade na música internacionalmente. Com um vasto repertório que cobre da música barroca a contemporânea é uma artista inovadora que com sua expressividade no palco e relevância artística conquistou reconhecimento internacional.

“Escuto as pessoas falando que a minha mini revolução tem sido inspiração para muitos, isso tudo traz mais responsabilidade, seriedade, e a consciência de que eu preciso merecer essa honra. Me sinto muito feliz pois estou fazendo algo que tem significado para as pessoas, sempre quis inspirar no palco e poder inspirar também fora do palco é algo maravilhoso, que me alimenta”, finalizou Gabriella.

Mais informações sobre o projeto: https://www.donne-uk.org 

Website da Gabriella  http://www.gabrielladilaccio.com

Fotos: Anatole Klapouch / Andres Landino.

GALERIA DE IMAGENS

Últimas Notícias