Cronograma de vacinação contra a Covid-19: entenda por que é importante
31/03/2021 - 23:08

Com a vacinação contra a Covid-19 ocorrendo no Brasil, muitas dúvidas e questionamentos surgiram em função do cronograma da vacinação e do estabelecimento de grupos prioritários para receber a vacina. A professora do curso de Enfermagem da UFFS, Jeane de Barros Souza, explica como funciona e qual a necessidade de um cronograma.

Por que existe um cronograma de prioridade de vacinação?

Jeane: As doses das vacinas disponíveis no Brasil, Coronavac (Butantan) e Astrazeneca (Fiocruz), estão sendo fabricadas e chegando pouco a pouco nos municípios. Foi organizado pelo Ministério da Saúde, mais precisamente pelo Programa Nacional de Imunizações (PNI), um Plano Nacional para operacionalização da vacinação contra a COVID-19 no Brasil, sendo que cada município está seguindo tais recomendações. Neste Plano fica evidente que é de interesse do PNI e do Ministério da Saúde ofertar a vacina COVID-19 a toda a população brasileira, a depender da produção e disponibilização das vacinas. Mas devido ao número reduzido de doses para toda a população, tornou-se premente estabelecer prioridades.


Por que o cronograma se inicia pelos idosos?

Jeane: Considerando o exposto, foi definido como prioridade: a preservação do funcionamento dos serviços de saúde; proteção dos indivíduos com maior risco de desenvolver formas graves da doença; proteção dos demais indivíduos vulneráveis aos maiores impactos da pandemia; seguido da preservação do funcionamento dos serviços essenciais. Nestas prioridades elencadas, desponta o idoso pelo fato de haver evidencias científicas de que a partir de 60 anos de idade  apresenta-se maior risco, tanto para hospitalização quanto para óbito por COVID-19,  com aumento progressivo nas faixas etárias de maior idade. Nesse cenário, organizou-se um cronograma de vacinação para os idosos da seguinte maneira: pessoas de 90 anos a mais; pessoas de 85 a 89 anos; pessoas de 80 a 84 anos; pessoas de 75 a 79 anos; pessoas de 70 a 74 anos (Chapecó está nesta fase); pessoas de 65 a 69 anos; pessoas de 60 a 64 anos.


Qual a importância de seguir o cronograma?

Jeane: O PNI reforça que todos os grupos elencados como prioritários serão contemplados com a vacinação, entretanto de forma escalonada por conta de não dispor de doses de vacinas imediatas para vacinar todos os grupos em etapa única. Vale ainda destacar que ao longo da campanha poderá ocorrer alterações na sequência de prioridades descritas no Plano, bem como a inserção de novos grupos, à luz de novas evidências sobre a doença, situação epidemiológica e das vacinas COVID-19. Portanto, a relevância de seguir o cronograma recomendado se devo ao fato de buscar imunizar primeiramente os grupos populacionais com maior vulnerabilidade, com vistas a diminuir o número de infectados e de óbitos por COVID-19 no Brasil.  


Quais os impactos dos profissionais de saúde e dos idosos serem vacinados com prioridade?

Jeane: As repercussões da vacina contra COVID-19 para os profissionais da saúde trouxeram muitos significados, como o renovar da esperança e da segurança, como evidenciado em uma pesquisa que estou coordenando. Para a sociedade, é de extrema importância que os profissionais da saúde estejam imunizados, para que possam se manter atuantes, preservando o funcionamento dos serviços de saúde à população brasileira. Para os idosos, como já mencionado, o maior impacto é prevenir infecções por COVID-19 e principalmente novos óbitos, já que integram um público vulnerável a essa doença. Mas ao atuar na campanha de vacinação, tem sido um privilégio observar a satisfação dos idosos ao receber a vacina, o que me leva a crer que há intensos significados e impactos envolvidos, em cada ser, ao receber a vacina contra a COVID-19.

 

Fonte: Universidade Federal da Fronteira Sul.

 

Últimas Notícias