Bolsistas desempenham papel fundamental no combate ao Coronavírus nas unidades prisionais do Paraná
03/09/2020 - 09:04

A população carcerária no Paraná gira em torno de 30 a 35 mil presos. No período da pandemia, se torna ainda mais essencial desenvolver ações para garantir a saúde de quem está em regime penal, pois a incidência de casos da doença nesses ambientes é significativa.

Por isso, bolsistas da área da saúde têm atuado em Ações Extensionistas de Prevenção, Cuidados e Combate à Pandemia do Novo Coronavírus também nas estruturas prisionais.

Para acompanhar o andamento das atividades, na tarde desta terça-feira (1/9), o Superintendente de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Aldo Nelson Bona, visitou o Departamento Penitenciário do Paraná (DEPEN). “O programa é uma iniciativa inédita que mobiliza estudantes e profissionais da saúde para reforçar e ampliar o atendimento em diferentes frentes. Temos certeza que essa ação pode ajudar a equipe do DEPEN, na definição de estratégias de prevenção para evitar a propagação do vírus”.

Ao todo são 18 bolsistas - 9 enfermeiros e 9 técnicos de Enfermagem – que atuam no Hospital Penitenciário, dentro do Complexo Médico-Penal em Pinhais. Os bolsistas auxiliam no atendimento de presos que apresentam os sintomas de Covid-19 e também prestam assistência médica em outros problemas de saúde.

O coordenador local do projeto e professor da Universidade Federal do Paraná (UFPR), Dr. William Bellani, reflete sobre a relevância do projeto em um momento tão delicado para a saúde pública. “A saúde dessa população é bastante frágil. É importante enfatizar a importância dos bolsistas para esse acompanhamento e apoio. Sem eles, esse trabalho de saúde tão fundamental seria comprometido”, comenta.

A atuação tem dado resultados positivos. Cerca de mil casos de Covid19 foram registrados na Unidade, destes apenas 2 sofreram óbito. O que para o Diretor-Geral do DEPEN, Francisco Caricati, representa um cenário positivo comparado aos índices de mortalidade pelo Coronavírus no sistema penitenciário brasileiro. “Sem dúvida, é um projeto importante, agrega a nossa área médica e tem sido um diferencial para a atuação do departamento no enfrentamento dessa pandemia”.

Além das ações para enfrentamento da pandemia, na reunião também foram discutidos futuros projetos e políticas de prevenção e reabilitação de presos. 

Atuação em Francisco Beltrão

Além da região de Curitiba, outros 7 bolsistas da área da saúde e psicologia também atuam na Penitenciaria Estadual e 19° SDP em Francisco Beltrão. O Projeto de Extensão “Contribuições da Ações de Extensão da Unioeste no Combate à Pandemia do Novo Coronavírus nas Regiões Oeste e Sudoeste do Paraná” é coordenado pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná, juntamente com a SETI/SESA/FA e em parceria com a 7ª e 8ª Regional de Saúde no Sudoeste do Paraná.

Os bolsistas têm como objetivo auxiliar os locais no atendimento e triagem dos casos de Covid19, bem como nas consultas médicas, de psicologia, no trabalho da equipe de enfermagem, e na atuação junto à cozinha da penitenciária durante a pandemia.

De acordo com a coordenadora local do projeto, professora Franciele Follador, nesse contexto de pandemia o trabalho dos bolsistas têm sido significativo e essencial, contribuindo para melhorar o atendimento da população. “A experiência tem sido muito significativa para os bolsistas, pois eles desenvolvem outro olhar sobre a saúde prisional. Com ações extensionistas, integrando a universidade ao serviço e trabalhando em prol da comunidade da região”, finaliza.

Últimas Notícias