Fundação Araucária

20/05/2020

Programa de Inovação Corporativa do PTI e da Araucária reestrutura edital para atender empresas nacionais e o turismo

O Parque Tecnológico Itaipu (PTI-BR) reestruturou o Edital do Programa de Inovação Corporativa e prorrogou o período para cadastro das demandas por parte das empresas. Este edital é realizado em parceria com a Fundação Araucária.Entre as principais novidades da atualização está a abrangência para empreendimentos de todo território nacional e a inclusão da linha temática “Medidas de combate aos efeitos econômicos da COVID-19”, voltada para aceleração de startups já constituídas e que desejam apresentar suas soluções para os desafios econômicos gerados pela pandemia do novo coronavírus.

 “A reestruturação do edital está no contexto do Programa Acelera FOZ onde a união de várias entidades está focada em enfrentar os desafios com otimismo, para deixarmos um legado de superação”, explicou o diretor superintendente do Parque Tecnológico Itaipu, general Eduardo Garrido.

O general destacou ainda a importância do Parque Tecnológico na implantação de ações em prol do desenvolvimento da região.

 “Queremos apoiar os setores-chaves do município, atuando no desenvolvimento de um ecossistema de inovação que traga soluções também para o seguimento turístico local, reduzindo os impactos negativos do momento atual e preparando Foz do Iguaçu para o futuro que está por vir. É importante que a sociedade esteja envolvida e motivada com o programa", detalhou Garrido.

A nova versão do edital integra o eixo “Retomada econômica do turismo” do Programa Acelera Foz, uma iniciativa que visa potencializar e gerar competitividade para o setor turístico e empresarial da cidade, mas também diversificar a economia, com a vinda de novas empresas de base tecnológica.

Segundo o diretor de Negócios e Inovação do PTI-BR, Rodrigo Régis de Almeida Galvão, a inclusão dessa linha específica surgiu a partir de diálogos com empresários do seguimento turístico de Foz do Iguaçu. “Representantes desse setor nos expuseram suas dores e nós buscamos uma forma de atendê-los de forma eficiente e com resultados a curto prazo”, ressaltou Rodrigo.

Ainda de acordo com Rodrigo Regis, outros seguimentos afetados economicamente pela pandemia da COVID-19 poderão ser beneficiados ao inscrever suas demandas nessa categoria. “Apesar de o turismo ser uma das nossas preocupações, demais setores podem se encaixar nessa modalidade”, explicou o diretor.

Agora, empresas nacionais de médio e grande porte têm até o dia 29 de maio para inscreverem suas problemáticas no Edital da Incubadora do Parque Tecnológico relacionadas aos temas Agronegócio; Energia; Segurança de Infraestruturas Críticas – relativas a ativos e serviços essenciais para a população; e Turismo e Cidades – referentes a produtos e serviços que podem, por exemplo, auxiliar as cidades a se tornarem inteligentes, melhorar a mobilidade urbana e a gestão pública.

Para participar, basta preencher um formulário e anexar alguns documentos da empresa, por meio do link: https://webforms.pti.org.br/inovacaocorporativa. Além disso, a equipe da Incubadora Santos Dumont está disponível para esclarecer dúvidas e auxiliar no processo de inscrição.

Na segunda fase do edital, prevista para 09 de junho e 10 de julho, empreendedores e startups poderão inscrever suas ideias e propostas de soluções para estas demandas.

A Incubadora do Parque Tecnológico vai selecionar 60 propostas, que receberão uma bolsa-auxílio para o desenvolvimento de um protótipo, durante dois meses.

Os protótipos serão avaliados pelas empresas demandantes e os oito projetos com maior pontuação entrarão para a incubação no PTI, onde terão acesso a toda estrutura da instituição, que inclui coworking, sala de prototipação e sala de design thinking da Incubadora, laboratórios, serviços e demais espaços do Parque. Também receberão consultorias e mentorias, além de recursos para dar suporte ao desenvolvimento do produto, em um prazo de até 12 meses.

Turismo em foco

Atendendo o desafio de se conectar ao município de Foz do Iguaçu oferecendo sua estrutura para inovação e desenvolvimento, com foco em um dos seguimentos mais gera emprego e renda para a cidade, o Edital do Parque Tecnológico Itaipu é uma grande oportunidade para empresas que atuam no setor turístico local cadastrarem suas problemáticas na linha temática do Edital “Medidas de combate aos efeitos econômicos da COVID-19”.

Nesta linha, startups já constituídas e com solução validada no mercado, poderão inscrever suas propostas de projetos para solucionar as demandas cadastradas. Essas empresas serão direcionadas diretamente a uma banca avaliativa, para verificação do grau de maturidade da solução e o atendimento de demandas sensíveis no mercado.

As cinco Startups melhores qualificadas receberão recursos (baseado no planejamento realizado) no valor de até R$ 160.000,00 para implementação da solução proposta e aceleração do negócio.

A Fundação Araucária que é parceira nesta ação destaca a importância da iniciativa. “Editais como esse fazem que com tenhamos cada vez mais a clareza em utilizar o alto potencial do Estado para auxílio na criação de riqueza e renda e também na transformação da ciência e tecnologia em inovação”, destacou o presidente da Fundação Araucária, Ramiro Wahrhaftig.

Fonte: Assessoria de Comunicação do PTI.

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.