Fundação Araucária

02/08/2019

Seti e Fundação Araucária promovem workshop sobre pesquisa da água

A Superintendência Geral de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior e a Fundação Araucária promoveram, nesta quinta-feira (1), na Universidade do Livre do Meio Ambiente (Unilivre), o workshop “Implementação da Aliança Tropical de Pesquisa de Água”. O evento contou com a presença da gerente de educação e ciência da embaixada da Austrália Cristina Elsner e do professor da Griffith University e coordenador da Tropical Water Research Alliance (TWRA) Dr. Stuart Bunn.

Tropical Water Research Alliance é uma rede de pesquisa que tem o objetivo de debater questões que envolvam a conservação da água, saneamento, vegetação fluvial, engenharia e pesquisa ambiental e os efeitos da seca, mineração e outras indústrias.

A missão da água já visitou Santiago e Valparaíso no Chile, e no Brasil também esteve em São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Espírito Santo e Brasília, para compartilhar conhecimentos em gestão ambiental com grupos industriais, governamentais e educacionais. Atualmente, a rede possui parcerias estabelecidas com o Espírito Santo e Brasília e nos próximos dias 5 e 6 de agosto realiza um evento em Santa Catarina.

“Estamos trabalhando em busca da criação de uma rede de pesquisa que seja instrumento de transformação e solução das demandas enfrentadas pela sociedade. O workshop serviu para aproximar a relação entre os setores do governo que pesquisam os recursos hídricos e a Austrália”, destacou o superintendente de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior Aldo Bona.

O presidente da Fundação Araucária (FA) Ramiro Wahrhaftig afirmou que a Fundação tem trabalhado para desenvolver uma plataforma que reunirá pesquisadores do Estado. “Estamos estudando a criação de uma plataforma de compartilhamento de pesquisas relacionadas à agua em todo o Estado, com o objetivo de fomentar ações inovadoras”.

A Austrália sofreu com problemas de abastecimento de água semelhantes aos países da América do Sul. Por conta disso, a Tropical Water Research está ajudando a construir estratégias da preservação da água doce. O grupo possui 106 pesquisas em 30 instituições parceiras no Brasil.

A programação do evento contou com a palestra do professor Stuart Bunn sobre os apoios governamentais na pesquisa sobre águas tropicais. O professor da Universidade de Brasília (UNB) e coordenador brasileiro do TWRA José Francisco Gonçalves Júnior reforçou os objetivos da parceria. “A TWRA é um espaço para pensar soluções coletivas dos problemas de abastecimento e escassez que nossa sociedade enfrenta. Temos o desafio de deixar um legado para as gerações futuras”.

A professora da Universidade Federal do Paraná (UFPR) e coordenadora do projeto no Paraná Yara Moretto e a representante da embaixada da Austrália no Brasil Cristina Elsner ministraram palestras sobre a importância das pesquisas em conjunto com a Austrália e as características semelhantes de cada país que podem ser aproveitadas.

Na parte da tarde foram realizados debates sobre temas como as necessidades da utilização de água; identificação e reconhecimento de áreas fragmentadas para conservação e recuperação da água; influências do uso da terra nos ecossistemas de água doce; planejamento e conservação da biodiversidade e suas dimensões sociais e culturais.

Os participantes do workshop tiveram a oportunidade de conhecer o processo histórico de construção do espaço e os principais objetivos da Universidade do Livre do Meio Ambiente. “A Unilivre está de portas abertas para iniciativas que promovam a valorização do meio ambiente, questões urbanas e de sustentabilidade. Queremos que o Paraná seja uma liderança em iniciativas de valorização dos recursos hídricos” afirmou o diretor superintendente da Unilivre Celso Romero Kloss.

Também participaram do evento o coordenador de Relações Internacionais da Seti Luis Mascarenhas, o diretor geral da Secretaria de Educação Elisandro Frigo, a coordenadora de Relações Internacionais da Universidade Estadual do Norte do Paraná (UENP) Eliane Segati, o pró-reitor de pesquisa e pós-graduação da Universidade Estadual de Ponta Grossa, além de pesquisadores de diferentes instituições de ensino superior.


Fonte: Assessoria de Comunicação da Seti.

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.