Fundação Araucária - CT&I Notícias

15/03/2019

Laboratório da área de biomecânica é pioneiro em estudos do movimento humano

O Laboratório de Pesquisa e Ensino em Biomecânica (LAPEB) da Universidade Estadual de Londrina (UEL) é responsável por atividades ligadas ao estudo do comportamento motor, biomecânica e instrumentação, treinamento desportivo e aptidão física, com foco na promoção da saúde. O LAPEB desenvolve pesquisas dentro da área de biomecânica, ciência que realiza análise física de sistemas biológicos e de movimentos do corpo humano, visando melhor conhecimento da mecânica do esporte para auxiliar em desempenhos melhores.

O LAPEB é de responsabilidade do professor Victor Hugo Alves Okazaki, do Departamento de Educação Física. São desenvolvidas pesquisas relacionadas ao comportamento motor e biomecânica, em especial acerca dos temas controle motor, coordenação motora, instrumentação em biomecânica, processamento de sinais, programação de softwares, desenvolvimento tecnológico, psicologia do esporte e treinamento esportivo.

"Um dos focos do nosso público é trabalhar com atletas, mas já tivemos trabalhos com a população especial e gestantes. No caso, a responsável pela pesquisa estudou como o período de gestação interfere no equilíbrio postural da mulher, fase em que há alteração mecânica significativa, tendo como causa o ganho de grande quantidade de massa em curto tempo", explica o professor.

Estudos - De acordo com Okazaki, os estudos, desenvolvidos pelos estudantes da graduação e pós-graduação, têm como objetivos compreender as características e princípios que orientam a aquisição de habilidades motoras, bem como mudanças que ocorrem no comportamento motor humano ao longo da vida (evolução, desenvolvimento e aprendizagem), também os mecanismos de organização e controle de movimentos: órgãos dos sentidos, sistemas sensorial, perceptivo, decisório e efetor - parte terminal de um órgão, capaz de reagir ao estímulo dos impulsos nervosos. Desse modo, os estudos auxiliam na elaboração de propostas de programas de atividades física nas diversas fases da vida.

"As pesquisas aqui desenvolvidas auxiliam na formação do aluno, investindo inclusive na formação técnica instrumental deles na área de Biomecânica", aponta o professor Victor Hugo Alves Okazaki. Ele destaca ainda a estrutura tecnológica do laboratório dentro da educação física.

"Temos o melhor equipamento do mundo para análise cinemática, que é a descrição em espaço temporal do movimento, sendo possível captar o movimento real em três dimensões. Para se ter uma ideia, é o mesmo equipamento utilizado na produção de grandes filmes como Senhor dos Anéis e Avatar. Assim, com base nas imagens capturadas obtemos dados de descolamento, velocidade e aceleração linear e angular. Com uso de modelos matemáticos, conseguimos calcular a descrição física de como o movimento está sendo realizado", explica.

O fato é que, segundo o professor, os dados coletados colaboram para compreender o processo de aprendizagem, o que leva ao refinamento da técnica de movimento em si praticada pelo atleta, inclusive no que diz respeito à combinação entre biomecânica, somado ao controle motor, estratégias usadas para o movimento humano.

O professor Okazaki evidencia ainda a relevância das pesquisas desenvolvidas. "Para a área da educação física a contribuição é muito rica, porque uma das vertentes mais focadas pelo Laboratório é fazer trabalhos inéditos. Com a realização de pesquisas mais complexas que outros laboratórios de Biomecânica não fazem. Sendo assim, o ganho para a área é a originalidade dos trabalhos que a gente faz como a descrição do fenômeno e controle motor".

Desse modo, as atividades desenvolvidas são capazes de interagir com a estrutura científico-acadêmica de graduação (iniciação científica) e pós-graduação (mestrado e doutorado). Portanto, a participação do laboratório no sistema ensino-pesquisa é destaque, não apenas pela contribuição na formação acadêmica e profissional como no desenvolvimento do conhecimento científico da Biomecânica.

Tecnologia de ponta a serviço da pesquisa

A equipe do LABEP desenvolve produtos tecnológicos que colaboram para avanços dos estudos na área. Entre os principais produtos criados estão as luvas especiais para quantificar os toques e a plataforma de equilíbrio dinâmico. Além destes produtos, também são desenvolvidos softwares, que serão utilizados junto com diferentes interfaces.

Também faz parte do portifólio, o óculos para perturbação da informação visual, equipamento que permite distorcer a visão de diferentes maneiras. Os óculos são utilizados para a análise da importância que a informação visual tem para a regulação do movimento humano. Outro é o dispositivo Analog-to-Digital Adaptor for Laboratory Tasks, adaptador analógico digital usado para fazer a interface entre diferentes tarefas. 

Em função da infraestrutura do setor, várias parcerias foram firmadas para o desenvolvimento de pesquisas. É o caso da parceria que possibilita pesquisas em atletas da categoria de base do LEC. "Analisamos os batedores de pênaltis do LEC, e com base nessas informações, conseguimos prever o local em que a bola iria alcançar, mesmo antes do batedor chutar a bola. Assim, é possível trabalhar os goleiros para eles tomarem as decisões antecipadamente", explica Okazaki, que também teve apoio de professores e alunos do Departamento de Informática, do Centro de Ciências Exatas (CCE) para o desenvolvimento de software, que auxilia na tomada de decisões. 

Além disso, outras ideais do professor Okazaki estão em andamento como: programa para tarefa de timing para análise de coordenação em fase e anti-fase de toque de dedos. Também o programa de rastreamento para análise da informação do feedback no controle de movimentos, e ainda programa para interceptação, reprogramação e controle visual/motor. 

 

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.