Fundação Araucária

20/12/2018

FA participa da entrega do Prêmio Paranaense de Ciência e Tecnologia Governador José Richa

A Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior divulgou nesta quarta-feira (19) o resultado da 31ª edição do Prêmio Paranaense de Ciência e Tecnologia Governador José Richa. No total, os nove vencedores receberam R$ 215,6 mil, além de certificado, durante a cerimônia no Palácio Iguaçu, em Curitiba.O diretor científico da Fundação Araucária Nilceu Jacob Deitos representou a instituição na solenidade.

O secretário da pasta, Décio Sperandio, ressaltou a importância de ações como o prêmio, que além de reconhecer o importante trabalho de pesquisadores, estudantes, jornalistas e inventores, também estimula a produção científica e tecnológica no Estado.

“Sabemos da dedicação destes profissionais e precisamos valorizar este trabalho que reflete em benefícios para toda a sociedade. O Paraná vem avançando, significativamente, em Ciência e Tecnologia com contribuições que são fundamentais para o desenvolvimento de um estado e de um país”, afirmou Sperandio.

Os premiados reforçaram a importância de toda a estrutura universitária, alunos, professores, pesquisadores e equipamentos como fatores essenciais à produção de conhecimento científico relevante e de alto impacto.

RECONHECIMENTO - Na categoria pesquisador venceram o professor Celso Vataru Nakamura, da Universidade Estadual de Maringá (UEM), na área de Ciências Biológicas, e o professor Marcos Lúcio Corazza, da Universidade Federal do Paraná (UFPR), em Engenharias.

Nakamura ganhou com o trabalho “A morte celular apoptótica induzida pelo composto A3K2A3 em Leishmania Amazonensis ocorre através da disfunção mitocondrial caspase e ATP dependente”. Corazza foi o vencedor com o artigo “Cinética da esterificação etílica de ácido láurico usando montmorillonita (STX1-b) como catalisador”.

Na categoria pesquisador-extensionista venceram o professor Eduardo Luís Cupertino Ballester, da UFPR, em Ciências Biológicas, e o professor Camilo Freddy Morejon, da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste), em Engenharias. Ballester apresentou a pesquisa “Carcinicultura: Relato de experiência no oeste do Paraná”, e Morejon com o artigo “Estação modular para tratamento de efluentes de frigorífico de peixes”.

Também foram premiados os estudantes de graduação Matheus Deroco Veloso da Silva e Flávia Manente da Silva. Matheus é aluno da Universidade Estadual de Londrina (UEL) e ganhou com o estudo “Análise histológica do fígado de ratos wistar tratados com atrazina associada à goethita”. Flávia é da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), Câmpus Medianeira, e concorreu com o estudo sobre “Pré-tratamento de águas residuais por meio da eletrocoagulação em um reator em batelada”.

Jeniffer Aparecida Machado Lopes venceu na categoria inventor independente, na área de Engenharias. Ela criou um misturador gradual de fluxos. O projeto visa criar um dispositivo de baixo custo, dentro do padrão do programa Minha Casa Minha Vida, que permita o controle de água fria e quente em um único registro.

Na categoria de jornalista venceram Cleber Moletta Gomes, da rádio Cultura FM, na área de Ciências Biológicas, e Gislene Maria Bastos, da RICTV, em Engenharias. Gislene fez uma reportagem sobre realidade virtual, o uso de games no treinamento de eletricistas. E Cleber uma matéria sobre a busca de soluções contra a poluição de um arroio em Guarapuava, por alunos de uma escola pública, com o apoio da Universidade Estadual do Centro-Oeste do Paraná (Unicentro).

SOBRE O PRÊMIO - O Prêmio de Ciência e Tecnologia Governador José Richa contempla a cada ano, em um sistema de rodízio, duas grandes áreas de conhecimento. Já são quase 110 premiados desde 1986, quando foi criado.

As áreas previstas no próximo edital, que será lançado nos próximos dias, são Ciências Exatas e da Terra e a área de Ciências da Saúde.

 

 Fonte: Agência Estadual de Notícias.

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.