Fundação Araucária - CT&I Notícias

06/02/2018

INCT de Microrganismos para a Agricultura lança Tecnologia de Inoculação que incrementa a Proteína de Braquiárias em 25%

O INCT “Microrganismos Promotores do Crescimento de Plantas Visando à Sustentabilidade Agrícola e à Responsabilidade Ambiental (MPCPAgro)” (CNPq, CAPES) faz um importante lançamento no Show Rural da Coopavel, que aconteceu entre os dias 05 e 09/02, em Cascavel. 

A tecnologia foi desenvolvida pela Embrapa Soja (Londrina), em parceria com a empresa Total Tecnologia (Curitiba), no contexto do INCT e consiste no desenvolvimento de um inoculante contendo estirpes selecionadas de Azospirillum brasilense para braquiárias. Pesquisas desenvolvidas em pastagens recebendo doses baixas de fertilizante nitrogenado (40 kg de N/ha) em associação com o inoculante resultaram em incremento de 15% na produção de biomassa e de 25% no teor de proteína das forragens. 

O Brasil possui cerca de 180 milhões de hectares (ha) em pastagens, a maioria com braquiárias, mas estima-se que cerca de 70% em algum estágio de degradação. Desse modo, a inoculação das braquiárias com as bactérias selecionadas pode trazer um grande impacto na agropecuária nacional. Somam-se, ainda, benefícios ao meio ambiente, com estimativa de incremento no sequestro de carbono (C) de 100 kg de C/ha/ano e, como a inoculação foi equivalente a uma segunda aplicação de 40 kg de N/ha, de mitigação na emissão de gases de efeito estufa, da ordem de 180 kg de equivalentes de CO2/ha/ano. 

O lançamento será amplamente divulgado, uma vez que o Show Rural Coopavel é, hoje, o principal evento nacional de transferência de tecnologias voltadas ao aumento de produtividade de pequenas, médias e grandes propriedades rurais. Em 2018 a feira conta com 530 expositores e as estimativas são de que receba 250 mil visitantes (http://www.showrural.com.br/). 

As estirpes e a formulação de inoculante desenvolvidas pelo INCT têm, como principal efeito, aportar fitormônios para as plantas, favorecendo o crescimento das raízes, resultando em incremento na capacidade da forrageira para explorar o solo em busca de nutrientes e água e permitindo, inclusive, um maior aproveitamento do fertilizante aplicado. Além disso, existe uma contribuição das bactérias pelo processo de fixação biológica do nitrogênio. A tecnologia está em perfeita consonância com as metas do INCT, de viabilizar tecnologias que resultem em uma agricultura mais sustentável e com responsabilidade ambiental, atendendo, também, às metas do governo brasileiro no Plano de Agricultura de Baixa Emissão de Carbono (Plano ABC).

Mais informações: Embrapa.
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.