Fundação Araucária

15/12/2017

FA investe mais de R$54 milhões de reais em ciência, tecnologia e inovação

A Fundação Araucária (FA) mais uma vez conseguiu mostrar que é por meio do investimento e da priorização das áreas da ciência, tecnologia, inovação e ensino superior que o país e o estado passam a evoluir tanto no aspecto econômico como no social. Só neste ano, a FA lançou 16 chamadas públicas (CP´s), e seis processos de inexigibilidade disponibilizando o total de R$ 54.459.650,57. Deste recurso, R$38.392.109,63 são advindos da Fundação Araucária e R$16.067.540,94 de parceiros privados e federais.

Outro aspecto bastante importante que a FA tem trabalhado é com relação ao estabelecimento de parcerias internacionais. De 2011 a 2017 a FA vem investindo fortemente na internacionalização das universidades. Possui parcerias com o Fundo Newton (Reino Unido); Horizon2020 (Comunidade Europeia); Itália; França (INRIA; CNRS); Israel e European Research Council (ERC), por meio do Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (Confap), resultando em 18 chamadas públicas ou processos de inexigibilidade, o que totaliza o montante de R$4.476.304,00 investidos. A FA possui ainda acordos firmados com a Alemanha (Tecnhische Hochsclule Ingolstad), Austrália (University of Victoria) e Holanda (University of Twente).

Em 2017 foram disponibilizadas aproximadamente três mil bolsas de estudo, sendo que algumas chamadas públicas ainda encontram-se em processo de avaliação. A FA financia projetos, programas e oferece bolsas de estudos nas modalidades de iniciação científica, iniciação científica júnior, tecnológica, inclusão social e de projetos de extensão. Estas modalidades têm o principal objetivo de fazer com que os estudantes da graduação já conheçam, desde cedo, a importância que a pesquisa, a ciência e a tecnologia possuem em suas vidas.

Existe também a modalidade sênior direcionada aos pesquisadores aposentados, a bolsa técnico destinada a profissionais que podem auxiliar os pesquisadores no manuseio de equipamentos dos laboratórios multiusuários, a de produtividade que tem como objetivo incentivar o trabalho daqueles pesquisadores que mais produção científica possuem em suas áreas.

Oferece ainda a bolsa de pós-doutorado em empresas que une a realidade do mercado de trabalho com a academia. Por fim, existem as bolsas de pós-doutorado, de doutorado, de mestrado e de capacitação docente que têm como principal finalidade auxiliar na melhoria da qualidade dos programas de pós-graduação das universidades, dentre outras relacionadas às parcerias internacionais e com o setor produtivo.

Um dos Programas apoiados pela Fundação Araucária que obteve destaque neste ano foi o Tecnova – PR. O Paraná foi o Estado que mais recebeu submissões de projetos quando o edital foi aberto – mais de 200 - fato que demonstra o perfil e a capacidade inovadora regional. Das 60 empresas que finalizaram seus projetos, 18 já possuem patentes.

A empresa Tecverde participou do Programa e desenvolveu a tecnologia unifamiliar para residências multifamiliares de até cinco pavimentos. O desenvolvimento da inovação exigiu repensar a concepção do produto, elaborar novas soluções de impermeabilização e segurança contra incêndio e um novo processo de montagem para adequar o sistema construtivo.

“Com esta tecnologia o aumento da produtividade está três vezes maior e outro fator muito importante neste projeto é a utilização de madeira de reflorestamento, contribuindo desta forma, com a sustentabilidade do estado e do país como um todo. A nossa meta é a construção de prédios usando desta tecnologia em apenas cinco dias e com baixo custo à população”, informou o representante da empresa, José Marcio Fernandes.Tais ações permitiram novas soluções de entrepiso, proteção contra incêndio, revestimento de fachada, sistema de cobertura, alimentação de gás e impermeabilização de áreas molhadas e molháveis.

“Esses dados comprovam que a integração entre a academia, o setor produtivo e as agências de fomento faz com que a comunidade científica possa cumprir o seu papel, que é o de realizar ações e iniciativas que sejam revertidas ao benefício da população brasileira”, afirma o presidente da Fundação Araucária, Paulo Brofman.

 

 

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.