Fundação Araucária

13/11/2017

Fórum do Confap é marcado por discussões sobre ações com parceiros e de popularização da ciência

Com um balanço positivo, foi encerrado no último dia 10, em Goiânia, o Fórum Nacional do Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (Confap). As atividades do dia, que constaram de apresentações de missões realizadas, debates, balanços de grupos de trabalho do Confap com a Capes e com o CNPq, deliberações e encaminhamentos foram conduzidas pela presidente do Confap, que também preside a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Goiás (Fapeg), Maria Zaira Turchi. O Fórum foi realizado entre os dia 08 e 10 de novembro. A Fundação Araucária foi representada pelo presidente Paulo Brofman e pelo diretor científico Nilceu Jacob Deitos.

A questão dos parques científicos e tecnológicos foi o tema que abriu os trabalhos dos presidentes das Fundações. O presidente da Fundação de Apoio à Pesquisa do Estado da Paraíba (Fapesq) que também é vice-presidente do Confap, Cláudio Furtado, e o da Fundação de Amparo à Pesquisa do Piauí (Fapepi), Francisco Guedes, que integraram a missão técnica internacional realizada pela Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores (Anprotec) em setembro, na Espanha e Turquia, fizeram um relato da viagem destacando a importância de se conhecer a experiência daqueles países, seja na estrutura física e nos modelos de gestão. Eles conheceram o ecossistema de inovação e empreendedorismo locais e os parques científicos tecnológicos da Espanha nas províncias de Andaluzia (Málaga), País Basco (Bilbau) e Catalunha (Barcelona) e, ainda, em Portugal. Finalizando a missão houve participação na Turquia da 34ª Conferência Mundial da Associação Internacional de Parques Tecnológicos e Áreas de Inovação (IASP), que teve como tema central “Parques Científicos e ecossistemas de inovação naturais: articulando tendências e estratégias futuras”.

Durante o debate, o presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig), Evaldo Vilela, pontuou que também no Brasil existem importantes parques tecnológicos. Ele levou à discussão a necessidade de se pensar novas concepções de parques e repensar modelos físicos dos mesmos, sugerindo novos habitats de inovação com novos conceitos espaciais, e novos modelos de gestão. Ressaltou os diversos problemas imobiliários advindos dos atuais modelos de parques. Além de ser um investimento caro, ele apontou necessidade de se buscar alternativas para os parques aproveitando construções já existentes, alugando imóveis e criando ambientes e ecossistemas , além da necessidade de novos modelos de gestão, aproveitando espaços e mecanismos para execução dos projetos e de serviços das universidades (laboratórios) ou outros fora das empresas.

Seguindo a programação, os coordenadores dos Grupos de Trabalho Confap/CNPq (presidente da Fundação de Amparo à Ciência e Tecnologia do Estado de Pernambuco – Facepe, Abraham Benzaquem Sicsu) e do GT Confap/Capes (presidente da Fundação Araucária, Paulo Roberto Brofman) apresentaram relato de suas ações junto aos dois órgãos federais parceiros do Confap.

O diretor de Inovação do Instituto Euvaldo Lodi (IEL), Paulo Mól, levou para o Fórum do Confap uma proposta para que seja avaliada a possibilidade de parcerias Confap/FAPs com o IEL, no Programa Inova Talentos. A proposta visa formar um vínculo de parceria entre academia, empresa, IEL, CNPq e Confap, no conjunto de suas Fundações, buscando pesquisadores de alto nível dentro das instituições de ensino e fornecendo bolsas para que desenvolvam projetos industriais para inovação das empresas de pequeno porte. Segundo Mól, apresentou o “Inova em números. A quantidade de bolsas no país”. Segundo ele, são 1.704 projetos de empresas submetidos, 2.752 bolsas solicitadas e 1.365 bolsas implementadas. Estes números projetam um índice de empregabilidade do projeto superior a 40%. O Confap enalteceu a importância do projeto e deverá analisar a possibilidade junto às FAPs, de modo a avaliar questões financeiras como as contrapartidas para as bolsas.

Ainda durante o Fórum, o coordenador de Comunicação Social do Confap e assessor de imprensa da Fapeg, Renan Rigo, apresentou aos presidentes das Fundações os resultados do Encontro dos Assessores de Comunicação, que antecedeu o Fórum do Confap, realizado no último dia 8. Foi apresentada uma proposta de planejamento estratégico de Comunicação Social – Confap/FAPs, de maneira a melhorar a divulgação do trabalho desenvolvido pelas instituições, bem como a questão da difusão científica e popularização da ciência.

A Assessoria Internacional do Confap também apresentou um balanço das parcerias com organizações internacionais. Já no período da tarde, o Fórum do Confap continuou com deliberações internas entre os presidentes das Fundações que compõem a entidade.

A próxima edição do Fórum do Confap deve ser realizada no mês de março, em Florianópolis (SC), com a organização da Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina (Fapesc).

Assinatura de memorandos e troca de experiências entre as FAPs

Assinatura de memorandos e mesas-redondas também tiveram espaço no Fórum, realizado no K Hotel, em Goiânia, organizado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Goiás (Fapeg). Os presidentes das Fundações de Amparo à Pesquisa (FAPs) assinaram o Memorando de Entendimento para Cooperação em ações de Ciência, Tecnologia e Inovação entre as FAPs com o objetivo de promover o avanço da ciência, o desenvolvimento tecnológico e a inovação de suas respectivas Unidades da Federação.

Para a presidente do Confap e da Fapeg, Maria Zaira Turchi, este memorando fortalece o fomento de projetos de pesquisa conjuntos de alto nível científico. “A gente institui um instrumento que vai dar mais força e mais expressão ao que a gente já vem fazendo, quer seja espontaneamente ou por um movimento. Com certeza, isso irá ampliar e fortalecer a nossa cooperação”, afirmou.

Mesa-redonda: Parceiros nacionais

O  Fórum teve início com uma mesa-redonda envolvendo os parceiros nacionais. Participaram o presidente da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), Ildeu de Castro Moreira; o presidente do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), Mário Neto Borges; o diretor de Desenvolvimento Científico e Tecnológico da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), Wanderley de Souza; e a presidente do Confap e da Fapeg, Maria Zaira Turchi.

Ildeu de Castro ressaltou a parceria contínua de longa data da SBPC com o Confap e as FAPs e lembrou das reuniões anuais e regionais da SBPC, que sempre tiveram o apoio das Fundações no locais em que as atividades são realizadas. Ildeu adiantou que já está em discussão, na SBPC, a proposta para realizar uma reunião em Rio Verde (GO) com intenção de melhorar a educação científica no interior do Estado.

O presidente da SBPC ainda comentou que tem como metas continuar lutando para melhorar o orçamento no ano que vem e promover, em parcerias, seminários temáticos gerando propostas para a Política de Ciência e Tecnologia. Nesta última ação, é necessário se aproximar mais da sociedade para que esta veja a importância da ciência. Após a fala de Ildeu, Zaira lembrou que durante o Fórum será analisada a proposta de parceria – encaminhada por Ildeu, com os Institutos Nacionais de Ciência e Tecnologia (INCT) de difusão científica.

Wanderley de Souza, diretor da Finep, apresentou o cenário atual e as perspectivas da Financiadora, que tem um olhar mais positivo para 2020. Ele ainda comentou sobre editais e programas que serão lançados, entre eles, um edital de manutenção de equipamentos e convidou o Confap para também participar como parceiro desta Chamada. Ainda destacou o Finep Conecta, programa que induzirá a maior aproximação das empresas com as ICTs e universidades. “A intenção é levar o conhecimento gerado nas ICTs e Universidades para as empresas, e promover maior alinhamento dos objetivos da Ciência Nacional às demandas empresariais”, destacou.

Mário Neto, presidente do CNPq, citou o trabalho de internacionalização, feito em conjunto com o Confap, que teve resultados muito positivos e, também, em relação à inovação, sugerindo que o empreendedorismo comece na iniciação científica do Ensino Médio. “Estamos fortemente dedicados a criar um fomento ao empreendedorismo inovador desde o Ensino Médio. Não vamos competir com os recursos da Ciência, mas estamos buscando recursos adicionais e aí temos parceiros como o IEL Nacional e Sebrae”, disse. Além de fortalecer as parcerias, Mário ressaltou também que é necessário haver uma revisão dos programas PPP, Pronem e Pronex “para ter uma olhar mais avançado e menos burocrático”.

Mesa-redonda: Parceiros Internacionais

Também foi realizada a mesa-redonda envolvendo os parceiros internacionais. Além da presidente do Confap e da Fapeg, Maria Zaira Turchi, participaram o chefe da seção de Ciência, Tecnologia e Inovação da Delegação da UE no Brasil, Alejandro Zurita; gerentes do Fundo Newton no Brasil, Mariana da Veiga e Camila Almeida; e representantes das UK Academies: Ryan Ahmed (Royal Society), James Harden (Academy of Medical Sciences) e Tom Egan (The British Academy).

A gerente Camila Almeida apresentou os resultados obtidos de chamadas como Institutional Links 2017/2018, em que foram aprovadas nove propostas; além de 11 bolsistas de Mestrado no Reino Unido pelo edital para minorias sub-representadas na ciências. Ela ainda convidou os estados a participarem dos próximos editais relacionados ao British Council e também do FameLab.  Zaira Turchi sugeriu que as FAPs busquem também experiências com países da América Latina e lembrou que está aberta, até fevereiro de 2018, uma chamada pública para a vinda de pesquisadores britânicos para o Brasil.

O Fórum continuou com a apresentação do diretor-geral da Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP), Nelson Simões. Ele apresentou o RNP e, entre as perspectivas para o futuro, comentou a ideia de intensificar a colaboração científica. Segundo ele, o objetivo é trabalhar com uma visão integrada e coordenar os esforços na comunicação, computação e armazenamento; buscar recursos humanos qualificados e revitalizar a infraestrutura ao longo de cinco anos.

Nelson propôs para aos estados intensificar a interiorização de alto desempenho integrando os programas estaduais de Redes de Educação, Pesquisa e Inovação, além de explorar futuros projetos colaborativos com o Confap. Outra proposta é para a plataforma de Tecnologias e Informação (TICs) para suporte e inovação, realizando a chamada pública entre TICs e as FAPs.

À tarde, também, Marcelo Nicolas Camargo, do Departamento de Programas Descentralizados da Finep, e José Ricardo de Santana, diretor de Cooperação Institucional do CNPq, apresentaram encaminhamentos dos seus respectivos órgãos, acompanhando sugestões dos presidentes das FAPs.

Case de sucesso

O presidente da Fapemig, Evaldo Ferreira Vilela, apresentou o Inova Minas, um evento que busca divulgar, junto à sociedade, o esforço realizado pelas universidades, centros de pesquisa e empresas para o desenvolvimento da Ciência, Tecnologia e Inovação no Estado de Minas Gerais.

Autoridades presentes

Goiânia recebeu no último dia 08, na abertura do Fórum, presidentes e representantes das 26 Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (FAPs), autoridades científicas e políticas de todo o Brasil e representantes de agências federais e organismos internacionais para participar do Fórum do Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (Confap), o último deste ano de 2017.

Além dos representantes das FAPs, participaram do evento, o ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), Gilberto Kassab; o embaixador do Reino Unido, Vijay Rangarajan; o governador de Goiás, Marconi Perillo; e a presidente do Confap e da Fapeg, Maria Zaira Turchi. Também estavam presentes o presidente da Sociedade Brasileira para o Progresse da Ciência (SBPC), Ildeu de Castro Moreira; o presidente do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), Mário Neto Borges; o presidente da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), Marcos Cintra; secretários do MCTIC, Jailson Bittencourt de Andrade e Álvaro Toubes Prata; além de reitores de universidades, secretários e assessores do Governo do Estado, entre outras autoridades.

Fundo Newton

Durante a abertura do Fórum foi assinado o 1º Adendo ao Memorando de Entendimento entre o Governo do Reino Unido da Grã-Bretanha e Irlanda do Norte referente ao Fundo Newton e o Confap. O documento foi assinado pelo embaixador do Reino Unido, Vijay Rangarajan e a presidente do Confap, Maria Zaira Turchi, e teve como testemunhas o governador Marconi Perillo e o ministro Kassab. O Fundo Newton é um fundo do governo britânico que visa desenvolver parcerias em ciência, tecnologia e inovação para promover o desenvolvimento econômico e o bem-estar em países emergentes. O embaixador ressaltou ser esta uma “parceria muito produtiva e que a assinatura vai renovar e garantir recursos para pelo menos mais quatro anos. Disse ser enorme o leque de abrangências de pesquisas que esta parceria atende, desde biodiversidade, mudanças climáticas, resistência microbiana, agricultura e vários desafios globais que proporcionam o desenvolvimento social e econômico. Disse que está sendo estudada a ideia de se criar em 2018 o Ano de Ciência Brasil e Reino Unido.

Programa Centelha

Na sequência, foi assinado o Protocolo de Intenções do Programa Centelha – Programa Nacional de Apoio à Geração de Empreendimentos Inovadores entre o MCTIC, MEC, Confap, Finep, CNPq e Capes. O secretário de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação do MCTIC, Álvaro Prata, ressaltou que o programa Centelha vai estimular e empoderar ainda mais o empreendedorismo de base tecnológica. “Queremos com o programa, que aqueles que fazem ciência, aqueles que se preocupam com o avanço científico, que se preocupam com a ciência a serviço da sociedade, a ciência que pode e deve gerar riqueza para a nação e ser um dos importantes pilares de nosso desenvolvimento econômico e social, que possam mais e mais perceber que há vida virtuosa também na atividade empreendedora, na criação de novos negócios, de novas empresas e na criação de startups. Isso é o Programa Centelha”, disse Prata.

Pesquisadora recebe comenda

A pesquisadora Celina Turchi foi homenageada durante a solenidade com a comenda do Mérito Anhanguera que tem como finalidade agraciar personalidades e corporações militares por seus relevantes serviços, ações ou méritos excepcionais prestados à sociedade. A pesquisadora desenvolveu um importante papel na investigação dos casos de microcefalia e a relação com o vírus Zika. A entrega foi feita pelo governador Marconi Perillo. A pesquisadora agradeceu ao governador Marconi pelo incentivo, apoio e reconhecimento que ele tem prestado à ciência brasileira.

Reconhecimento

O ministro Gilberto Kassab disse ser gratificante poder, como político, como ministro, reaproximar da academia e oferecer parcerias, instrumentos para que os pesquisadores possam realizar seus projetos e propostas. “Quero dizer que eu acredito que nesse novo Brasil, essa parceria está no rumo certo, porque infelizmente no Brasil a pesquisa, a ciência, a inovação, têm poucas parcerias com o mundo político e isso dificulta sobremaneira o trabalho para angariar recursos no apoio aos projetos, especialmente hoje, onde somos obrigados a conviver com a Lei do Teto. Estamos no rumo certo aprendendo a nos mobilizar”. Ele ressaltou que o grande poder da comunidade científica, o grande parceiro, são os meios de comunicação e a sociedade.

Por fim, o governador Marconi Perillo disse homenagear todos os pesquisadores brasileiros ao prestar homenagem à pesquisadora Celina Turchi. Falou da criação da Fapeg e dos investimentos em pesquisa em Goiás. Disse que se sente honrado pela comunidade científica ter elegido a professora Zaira para a presidência do Confap, “ uma mulher guerreira, grande pesquisadora, grande gestora pública, idealista, focada no que faz, e isso orgulha a todos nós goianos, porque a professora realmente faz o que pode para que a pesquisa cresça e engrandeça o País”.

Fonte: Assessoria de Comunicação da Fapeg e do Confap.

Fotos: Rogério Porto e Núbia Rodrigues.

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.