Fundação Araucária - CT&I Notícias

23/08/2017

Incubada da Intuel ganha prêmio da ONU

Uma banca com representantes da ONU Meio Ambiente, Embrapa e Sebrae selecionou a Agribela como a startup com o melhor potencial para desenvolvimento de soluções que reduzam o impacto ambiental da cadeia de grãos no desafio Camp de Ecoinovação Agrotech, realizado de 18 a 20 de agosto. Além da Agribela, a empresa Rhizotech ficou em terceiro lugar. Ambas são ligadas à Incubadora Internacional de Empresas de Base Tecnológica da Universidade Estadual de Londrina (Intuel).

Gabriela Vieira Silva, fundadora da empresa, levou como prêmio a participação na feira internacional de sustentabilidade World Efficiency Solutions, em Paris, na França. Lá ela terá a oportunidade de apresentar a solução que inventou a profissionais de todo o mundo. As expectativas da empresa para a feira são conhecer pessoas, projetos e outros negócios que têm o mesmo propósito de melhorar o mundo. “Não tenho dúvidas de que a participação na feira trará muito conhecimento e maturidade para a Agribela. Encaro como uma representação das empresas brasileiras, especialmente as paranaenses incubadas na Intuel, no exterior”.

Além da premiação, a participação no Camp de Ecoinovação foi muito importante para a Agribela “principalmente por reunir, em um só lugar, pessoas de instituições diferentes que puderam contribuir, cada um na sua área, para o crescimento da empresa e produto”, explica a empreendedora.“Sem dúvidas essa premiação nos trouxe muita visibilidade! Acredito que com a divulgação poderemos ampliar as possibilidades de atuação em diferentes cadeias de produção, nos aproximar de potenciais clientes e demais interessados na tecnologia”, comemora Gabriela.

Destaque na categoria “startups”

A Rhizotech foi selecionada pela banca entre as três melhores do desafio. A empresa propõe a redução do uso de fertilizantes químicos fazendo a substituição deles por bioprodutos, constituídos por microrganismos, que nutrem e estimulam a planta por processos naturais, diminuindo assim a necessidade do uso desses insumos químicos que tem um alto valor financeiro e ecológico.

Na visão da empresa, ser selecionada entre as três melhores de 64 inscrições mostra que a Rhizotech tem capacidade de se inserir no mercado. “Mostramos que temos um bom projeto em amadurecimento em um evento que tem um enorme potencial de visibilidade e certificação para startups”, explica Zimmer.

Inventor independente

Na categoria “ideias”, quem ganhou foi Luiz Guilherme Lira de Arruda com a proposta de “Bico pulverizador para ultra baixo volume”. Todo o processo de depósito patente dessa tecnologia foi realizado pela Agência de Inovação Tecnológica da UEL (Aintec), que atua também atendendo inventores independentes.

Para o inventor, os próximos passos agora são continuar e expandir o piloto de validação para que, em 2018, ele possa ser democratizado e consiga tornar as pulverizações tropicais mais eficientes.

Vencedor na categoria "ideias", Arruda ganhou a oportunidade de apresentar sua ideia na Conferência Anual de Startups e Empreendedorismo, que será realizada em outubro, em São Paulo.

Intuel

A Intuel faz parte da Agência de Inovação da UEL e tem como objetivo oferecer suporte para o desenvolvimento de empresas com potencial tecnológico. Além de estrutura física, a incubadora oferece cursos em áreas específicas, como gestão, financeiro e mercado. Atualmente ela conta com nove empresas incubadas.     

Agribela

A solução que Gabriela levou ao Camp na categoria “startups” foi o Biodrop, que é um sistema de liberação de inimigos naturais composto por uma cápsula biodegradável, liberada na lavoura de forma mecanizada, ou não. “A cápsula possui características inovadoras que as tornam mais eficientes e sustentáveis que as encontradas no mercado”, explica Gabriela, que também propõe o lançamento dessas cápsulas na lavoura através da tecnologia dos drones.

Rhizotech

A empresa propõe a redução do uso de fertilizantes químicos fazendo a substituição deles por bioprodutos, constituídos por microrganismos, que nutrem e estimulam a planta por processos naturais, diminuindo assim a necessidade do uso desses insumos químicos que tem um alto valor financeiro e ecológico.

Luiz Guilherme Arruda

A proposta é voltada à redução do volume de água utilizado na pulverização agrícola. “Como inventor independente, desenvolvi um equipamento que possibilita a redução de até dez vezes o volume utilizado na operação de manejo de pragas ou aplicação de agentes biológicos”, esclarece Arruda.

Fonte: Comunicação - Incubadora de Empresas de Base Tecnológica (Intuel).

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.