Fundação Araucária

19/05/2017

Fórum do Confap destaca o trabalho em conjunto entre governo, empresas e academia para o desenvolvimento do País

A capital de Sergipe, Aracaju, realizou entre os dias 18 e 19 de maio, a segunda edição do ano de 2017 do Fórum do Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (Confap). Organizada pela Fundação de Apoio à Pesquisa e à Inovação Tecnológica do Estado de Sergipe (Fapitec/SE), a reunião busca discutir a questão do fomento à pesquisa científica, tecnológica e de inovação no Brasil e da contribuição da ciência para o desenvolvimento econômico e social do País. O presidente e diretor científico da Fundação Araucária, Paulo Brofman e Nilceu Jacob Deitos respectivamente, também estão participando do Fórum.

A solenidade de abertura do Fórum foi realizada na manhã desta quinta e reuniu autoridades políticas e científicas do estado de Sergipe e do Brasil, além de representantes das Fundações Estaduais, das agências de fomento federais e parceiros internacionais. A presidente do Confap, que também preside a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Goiás (Fapeg), Maria Zaira Turchi, abriu a cerimônia.

Maria Zaira Turchi destacou a relevância do Fórum do Confap e das 26 Fundações que se reúnem nessa representação para reafirmar procedimentos e mecanismos de fomento à pesquisa científica, tecnológica e de inovação. “É um momento importante em que as Fundações compartilham sua experiências e uma pauta comum e extremamente positiva no avanço da pesquisa, ao estabelecer cooperações, buscar opções de recursos e pensar em todos os Estados”, salientou. Ela também reforçou a importância do governo estadual fortalecer o investimento na sua Fundação correspondente pois “é preciso ter recursos garantidos para dar continuidade às pesquisas e a esses investimentos”.

Presidente da Fapitec/SE, José Heriberto Pinheiro Vieira, acrescentou durante seu discurso que a Fundação tem trabalhado a questão estratégica da pesquisa no Estado e buscado mostrar a importância deste investimento para a sociedade. “Nos próximos anos, o que estamos discutindo aqui, esse conhecimento gerado, será o grande bem para dominar a tecnologia e avançar no desenvolvimento econômico e social”, exclamou.

A questão do investimento garantido por parte dos órgãos públicos também foi enfatizada pelo secretário de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação do Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), Álvaro Prata. “A boa ciência, a boa tecnologia, se faz com recursos, com fomento e com formação de gente qualificada. Somos surpreendidos todos os dias com notícias difíceis sobre essa política em ciência, mas temos avanços, como o sucesso em relação à regulamentação do Decreto do Marco Legal em Ciência, Tecnologia e Inovação”, sinalizou.

Apoio do Governo de Sergipe
Também presente na solenidade de abertura, o presidente da Assembleia Legislativa do Estado de Sergipe (Alese), deputado Luciano Bispo, colocou os deputados da casa a serviço da ciência no Estado. “Minha palavra aqui é de apoio aos pesquisadores do nosso Estado. Ainda há uma falta de reconhecimento do governo sobre a importância da pesquisa, mas é graças à tecnologia que o País está mudando”, exclamou.

Para o secretário de Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia (Sedetec), José Augusto Carvalho, o estado reúne todas as condições para fomentar a pesquisa científica, tecnológica e de inovação em Sergipe. “Com todas as condições que temos, o povo sergipano é quem terá benefícios de todas essas cabeças pensantes”, finalizou.

Acordo com a França
Ao final da solenidade de abertura, foi realizado o lançamento de um novo edital do projeto GuyAmazon, por meio da parceria do Confap com instituições francesas. Pelo projeto, estarão envolvidas quatro Fundações Brasileiras dos estados do Maranhão (Fapema), Pará (Fapespa), Amazonas (Fapeam) e Amapá (Fapeap), além de instituições da França e da Guiana Francesa.

Philippe Martineau, da Embaixada da França no Brasil, reforçou a importância do Confap no conjunto de suas fundações para a construção de parcerias e apresentou o projeto GuyAmazon aos participantes. “O Confap é um parceiro muito importante para nós. O projeto até agora trouxe muitos resultados positivos, como a geração de artigos e publicações em obras, além de patentes”, indicou.

Representando as Fundações envolvidas, o presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa e ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Maranhão (Fapema), Alex Oliveira, colocou a importância do projeto para as FAPs da Amazônia Legal. “Essa cooperação é extremamente rica para que essa articulação chegue nesses resultados extraordinários”, explicou. O edital estará disponível em breve na página do Confap.

Discussões com o setor empresarial
Dando sequência às discussões do dia foi realizada uma mesa-redonda envolvendo o diretor-presidente da Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii), Jorge Guimarães, e a representante do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), Jackline de Souza Conca, com mediação da presidente do Confap, Maria Zaira Turchi, e participação do presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina (Fapesc), Sergio Gargioni.

Foram apresentadas possibilidades de apoio como o modelo operacional no suporte à inovação tecnológica na indústria, executado pela Embrapii, e ainda a nova parceria com o MDIC para o fomento à inovação nas empresas e a construção de editais voltados à inovação tecnológica. Uma das novidades anunciadas é um projeto piloto do MDIC para acelerar pedidos de patentes em até seis meses, nos casos prioritários.

Fórum de Aracaju debate fomento com agências federais

A tarde do primeiro dia de Fórum do Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (Confap), foi marcada por discussões acerca das condições de financiamento em âmbito nacional. Foram registradas as participações de representantes de agências de fomento federais e do Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), que puderam debater com os presidentes das Fundações presentes no evento sobre investimentos e oportunidades desenvolvidas por meio de acordos entre os diferentes órgãos.

O secretário de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação do MCTIC, Álvaro Prata, destacou a questão da inovação e dos modelos de negócios que se aproveitam da ciência. Citou como exemplos os Núcleos de Inovação Tecnológica (NITs) e as Incubadoras de empresas e o interesse do Ministério em melhorar a atuação da entidade nessas questões.

Também participaram deste momento os representantes da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), Fábio ; do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), professor José Ricardo de Santana; e da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), Tarcísio Teixeira. Todos apresentaram status de ações em andamento com as FAPs, bem como novas possibilidades de fomento.

Durante a tarde houve, ainda, a apresentação de uma palestra sobre o novo Marco Legal, a importância do 3º setor e os desafios da pesquisa no Brasil, com Júlio Edstron Santos. O Fórum continua nesta sexta-feira, dia 19, em Aracaju, com mais discussões sobre o fomento em pesquisa científica, tecnológica e de inovação.

 

 

Fonte: Coordenadoria de Comunicação Social do Confap (texto: Renan Rigo / fotos: Núbia Rodrigues).

 

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.