Fundação Araucária - CT&I Notícias

11/05/2017

Reinaldo José Lopes é o vencedor do prêmio José Reis 2017

O repórter do jornal Folha de São Paulo, Reinaldo José Lopes, foi consagrado como vencedor do 37º prêmio José Reis de Divulgação Científica e Tecnológica, na categoria "Jornalista em Ciência e Tecnologia", entre 35 candidatos.

Escolhido por seu trabalho de 15 anos dedicado ao jornalismo científico, o jornalista tem uma carreira extensa e dedicada à divulgação da ciência no Brasil. Trabalhando para os principais veículos da mídia impressa e digital do Brasil, tem uma média de três reportagem e artigos opinativos publicados por semana.

Foram avaliadas a qualificação, a experiência e a trajetória profissional na divulgação de ciência, tecnologia e inovação em veículo da grande imprensa nacional, além da relevância da produção e visão critica de sua produção sobre as Políticas Públicas de CT&I.

Como prêmio, Reinaldo receberá R$ 20 mil, além de diploma, passagem aérea e hospedagem para participar da Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), de 16 a 22 de julho, em Belo Horizonte. A entrega do prêmio será durante a cerimônia de abertura da reunião, no dia 16. O agraciado ministrará conferência sobre o conjunto dos seus trabalhos durante a programação da Reunião Anual da SBPC.

A comissão foi composta por Silvania Sousa do Nascimento, da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Presidente da Comissão por indicação do CNPq; Alexander Wilhelm Armin Kellner, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), por indicação do CNPq; Luísa Medeiros Massarani, da Fundação Oswaldo Cruz (FIOCRUZ), por indicação do CNPq; Carlos Alberto Vogt, da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), por indicação da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC); Mariluce de Souza Moura, da Universidade Federal da Bahia (UFBA), por indicação da Associação Brasileira de Jornalismo Científico (ABJC); e Rui Seabra Ferreira Júnior, da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP), por indicação da Associação Brasileira de Editores Científicos (ABEC).

Trajetória

Reinaldo Lopes trabalha desde 2009 no jornal Folha de São Paulo, onde acumula mais de 2.300 menções em seu nome. 

Reinaldo possui graduação em Comunicação Social - Jornalismo pela Universidade de São Paulo (2001), mestrado em Estudos Lingüísticos e Literários em Inglês na Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo (2006) e doutorado na mesma instituição (2012).

Seu trabalho acadêmico concentra-se na análise da obra de ficção de J.R.R. Tolkien sob o prisma da teoria da tradução. Foi editor de Ciência e Saúde da Folha de S.Paulo e hoje é repórter, colunista e blogueiro do jornal. É autor de quatro livros de divulgação científica: "Além de Darwin" (2009), "Os 11 Maiores Mistérios do Universo" (2014), "Deus: Como Ele Nasceu" (2015) e "Luz, Ciência e Muita Ação" (2016).

 Já colaborou com as principais revistas de divulgação científica do país, como Unesp Ciência, Pesquisa Fapesp, Superinteressante, Scientific American Brasil, Ciência Hoje e Aventuras na História.

Durante sua carreira, Reinaldo foi premiados diversas vezes por seu trabalho. Em 2009 foi finalista do Prêmio Abril de Jornalismo em duas categorias, Política e Ciência.  Também em 2009 foi vencedor do prêmio ABC de Blogs Científicos, em 2006 venceu o Prêmio Abril de Jornalismo na categoria Matéria Completa, além de ter sido finalista em duas outras categorias. Ainda em 2006 recebeu Menção Honrosa do Prêmio de Reportagem sobre Biodiversidade da Mata Atlântica, Aliança para a Conservação da Mata Atlântica. Em 2005 foi vencedor do Prêmio de Reportagem sobre Biodiversidade da Mata Atlântica, Aliança para a Conservação da Mata Atlântica.

O Prêmio

 Primeiro prêmio instituído pelo CNPq, em 1978, o Prêmio José Reis de Divulgação Científica e Tecnológica é concedido anualmente àqueles que, por suas atividades, tenham contribuído, de modo significativo, para a formação de uma cultura científica e por tornar a Ciência, a Tecnologia e a Inovação, conhecidas da sociedade.

O prêmio de caráter individual e indivisível é atribuído em sistema de rodízio a uma das três categorias: Jornalista em Ciência e Tecnologia - 2017, Instituição e Veículo de Comunicação 2018 e Pesquisador e Escritor - 2019.

Desde sua criação já foram premiados na categoria Jornalista em Ciência e Tecnologia: 2005 - Marcelo Nogueira Leite, da Casa do Saber - CSABER; 2008 - Alicia Ivanissevich, do Instituto Ciência Hoje da SBPC; 2011 - Ana Lúcia Vieira de Azevedo, do InfoGlobo - Jornal O Globo e 2014 - Herton Abacherli Escobar - Jornal O Estado de São Paulo.

Fonte: Coordenação de Comunicação Social do CNPq.

 

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.