Fundação Araucária

06/04/2017

Tecpar sedia workshop sobre atuação de institutos tecnológicos

Representantes da área de ciência e tecnologia debateram nesta quarta-feira (5), no Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar), os caminhos para a atuação dos institutos tecnológicos, sobretudo os públicos. No atual cenário, os especialistas apontam que as instituições precisam se reinventar para continuarem a serem grandes atores para o desenvolvimento tecnológico do país.

O workshop “A atuação sustentável dos institutos de pesquisa face aos novos modelos de desenvolvimento tecnológico e inovação” reuniu representantes do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações e do governo paranaense, além da comunidade científica e tecnológica nacional, para avaliar a atuação dos institutos em um cenário caracterizado pela escassez de recursos e de novas formas da Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (PD&I), parcerias estratégicas, startups, indústria 4.0 e inovação aberta, entre outros.

O diretor-presidente do Tecpar e presidente da Associação Brasileira das Instituições de Pesquisa Tecnológica e Inovação (Abipti), Julio Félix, que mediou uma das mesas redondas, destaca que uma das principais saídas para as organizações é aprimorar a sua gestão. “Os altos dirigentes das instituições de ciência e tecnologia, em especial as públicas, precisam trilhar caminhos para o seu desenvolvimento, tendo em vista o cenário de escassez de recursos”, afirma.

O secretário de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, João Carlos Gomes, ressalta que nenhum país se desenvolve sem investimentos em educação e na ciência e tecnologia. “O nosso desafio na vida pública é trabalhar para que sejam criadas políticas voltadas a essa área, com foco em inovação”, pontua.

Para Paulo Brofman, presidente da Fundação Araucária, o investimento em Ciência, Tecnologia e Inovação (CT&I) traz resultados benéficos a toda sociedade. “Quando investimos em ciência e tecnologia com foco na inovação, os segmentos da saúde e educação ganham, com novos produtos e processos à disposição da população”, salienta.

Jorge Mário Campagnolo, diretor do Departamento de Políticas e Programas de Apoio à Inovação do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), que ministrou a palestra magna sobre as novas formas de organização de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (PD&I), avalia que os institutos de ciência e tecnologia brasileiros são os grande atores para o desenvolvimento tecnológico. “Por essa razão, temos que fortalecê-los, com políticas de Estado para essa área, que precisa de investimentos contínuos”, ressalta.

O evento, promovido pelo Tecpar e a Abipti, contou com a presença de representantes do MCTIC e do governo paranaense, além da comunidade científica e tecnológica nacional.

 

Fonte: Assessoria de Comunicação do Tecpar.

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.