Fundação Araucária

08/10/2015

Programa Tecnova - PR completa dois anos de apoio à inovação tecnológica para as micro e pequenas empresas

O Programa TECNOVA – PR completa em outubro dois anos desde sua implantação no Estado. Foram disponibilizados R$ 22,5 milhões, sendo R$ 15 milhões providos pela FINEP (Financiadora de Estudos e Projetos) e R$ 7,5 milhões pelo Governo do Estado do Paraná por meio da Unidade Gestora do Fundo Paraná (UGF) vinculada à Secretaria da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (SETI). 

Foram submetidos 200 projetos, resultando em uma demanda de R$ 78.425.785,00. Após os processos de análise dos requisitos formais e habilitação, da avaliação do mérito e relevância e da análise técnica, jurídica e financeira conclusiva, 68 projetos foram aprovados, totalizando o limite de R$ 22.500.000,00, disponibilizado ao Programa TECNOVA-PR. 

Esta ação tem como público-alvo as micro e pequenas empresas, caracterizadas como de base tecnológica, tendo um faturamento de até R$ 3,6 milhões em 2012 e com pelo menos seis meses de existência, antes do lançamento da Chamada Pública realizado em outubro de 2013. O valor destinado à subvenção econômica dos projetos variou de R$ 180 a R$ 600 mil reais. Cada empresa pôde submeter um projeto de inovação tecnológica relacionado a um dos temas prioritários previamente definidos pela FINEP e pelas diretrizes do Conselho de Ciência e Tecnologia do Paraná (CCT), mediante a contrapartida mínima financeira das empresas variando entre 5% e 10% do valor do projeto. 

 “A aproximação do governo e da academia junto a esse público permitirá alavancar e estimular a competitividade do negócio paranaense, com reflexos positivos na economia estadual e para a sociedade paranaense como um todo, ampliando a presença e projetando o Paraná no contexto nacional e internacional”, salienta o presidente da Fundação Araucária, Paulo Brofman. 

A contratação dos projetos aprovados foi iniciada em dezembro de 2014 e se estendeu até fevereiro de 2015. Nesta etapa, cinco empresas não puderam ser contratadas por deixarem de atender às exigências de documentação, restando um elenco de 63 empresas que, a partir de janeiro de 2015, passaram a desenvolver efetivamente o seu plano de trabalho. Destas, 11 empresas preveem concluir o projeto de inovação até fevereiro de 2016, 12 empresas até agosto de 2016 e as 40 restantes preveem concluir até dezembro de 2016. 

“O Programa constitui uma oportunidade de projetar o setor produtivo estadual no contexto nacional de incentivo à inovação tecnológica, ao identificar novas ideias e estimular novos talentos (muitas vezes anônimos) presentes no âmbito das micro e pequenas empresas paranaenses de base tecnológica”, destaca o coordenador da Agência TECNOVA –PR – vinculada à Fundação Araucária, Osmar Muzilli. 

A FULL TIME AUTOMATION é uma das empresas que foi beneficiada pelo Programa Tecnova. Trabalha com soluções em automação industrial, com atendimento específico e priorização de prazos dos projetos. Nasceu por meio da Apex Control, uma empresa dedicada ao fornecimento de instrumentos, equipamentos e serviços para processos e utilidades em todos os segmentos industriais. 

 “Participar desse Programa é a realização de um sonho. Estou aprendendo muito para entender todo o processo do Tecnova. Parabenizo também o Governo do Estado por essa iniciativa, pois é impensável a separação da tríplice hélice, ou seja, Governo, setor produtivo e academia devem sempre trabalhar em conjunto”, afirmou o proprietário da empresa, Eduardo Tirapelle. 

O projeto da FULL TIME que envolve pesquisa e inovação e que foi aprovado na chamada pública relacionada ao Programa Tecnova, é referente ao desenvolvimento de um hardware que irá otimizar a instalação de produtos da empresa, unindo o máximo de etapas possíveis em um processo único. Eles estão na primeira fase do projeto, ou seja, na estruturação. O valor total destinado a esse projeto é aproximadamente de R$430.000,00. 

“O nosso objetivo é fazer com que as necessidades dos clientes sejam atendidas, otimizando o tempo e gerando economia”, destacou o coordenador do projeto, Ricardo Eiji Kond. 

O Programa TECNOVA – PR  - Surgiu de uma iniciativa do Governo Federal, por meio da FINEP/MCTI (Financiadora de Estudos e Projetos/Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação), tendo como foco o fomento à inovação tecnológica nas micro e pequenas empresas. 

A Secretaria de Estado da Ciência e Tecnologia do Paraná (SETI), motivada pela aprovação da lei estadual de inovação (Lei Estadual n. 17314, setembro de 2012), em articulação com instituições parceiras dos setores público e privado, coordenou a estruturação do Programa, mediante mecanismos de cooperação para promover o repasse de recursos de subvenção econômica, visando estimular o desenvolvimento de inovações tecnológicas em micro e pequenas empresas no Estado do Paraná. 

Em dezembro daquele ano a SETI submeteu à aprovação da FINEP a proposta para estruturação da Agência Operacional Descentralizada do TECNOVA-PR, tendo como instituição executora a Fundação Araucária e como coexecutoras a Federação das Indústrias do Estado do Paraná (FIEP) e o Instituto de Tecnologia do Paraná (TECPAR). Também participaram, como intervenientes técnicos, a Rede Paranaense de Incubadoras e Parques Tecnológicos (REPARTE) e a Associação das Empresas Brasileiras de Tecnologia da Informação (ASSESPRO). 

A partir da aprovação da proposta paranaense pela FINEP em março de 2013, a Fundação Araucária foi encarregada das tarefas de organização e lançamento da Chamada Pública (edital), da condução do processo de seleção e contratação das empresas e, a partir daí, do gerenciamento da alocação dos recursos de subvenção econômica, do acompanhamento físico e financeiro e das prestações de contas dos projetos aprovados. A FIEP se encarregou de mapear demandas, prospectar e captar projetos junto ao setor produtivo e, futuramente, promover rodadas de negócios junto ao setor empresarial. O TECPAR assumiu a incumbência de estruturar uma Plataforma Tecnológica Virtual (PTV) para prestar apoio técnico para as empresas no desenvolvimento das inovações.
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.