Conservação da Biodiversidade e Aplicações Tecnológicas são tema de seminário
01/09/2021 - 09:14

Pesquisadores e representantes das instituições que fazem parte do Novo Arranjo de Pesquisa e Inovação (NAPI) Taxonline se reuniram nesta terça-feira (31) para debater o andamento das atividades, avanços e desafios no Seminário Conservação da Biodiversidade e Aplicações Tecnológicas. 

O diretor de Ciência, Tecnologia e Inovação da Fundação Araucária, Luiz Márcio Spinosa, falou das linhas de trabalho da FA e sobre o modelo de fomento, mobilização e integração de ativos que são os NAPIs, também como suporte e apoio ao Taxonline. 

“A ideia é, cada vez mais, mostrarmos o Sistema de Ciência e Tecnologia do Paraná como um bem comum da sociedade e a partir deste grande ativo, ela pode obter soluções. O Taxonline é uma forma de trabalhar esta percepção”, ressaltou.

O diretor enfatizou ainda que a Fundação tem intensificado as ações para compor redes colaborativas ou cooperativas de pesquisa. Outro item importante é a Especialização Inteligente que é uma metodologia para buscar o melhor retorno sobre o investimento feito em ciência e tecnologia. “É muito importante para nós também a cocriação e cogestão das nossas pesquisas e ações. Sempre que possível envolvemos o Governo, a academia, empresas e a sociedade civil organizada e o Taxonline representa também este esforço.” 

Trabalho em rede - A Rede Paranaense de Coleções Biológicas – NAPI Taxonline baseia-se na colaboração entre as coleções biológicas científicas do Paraná. A Rede está em andamento desde dezembro de 2005. Seu início se deu com o objetivo principal de informatizar e disponibilizar as informações contidas nos acervos das coleções biológicas científicas do estado pela internet, porém, com seu crescimento e fortalecimento a Rede passou a ter um maior envolvimento dos pesquisadores/curadores e hoje é um grupo de instituições com objetivos comuns que vão muito além da informatização de seus acervos.

A Fundação Araucária considera que o NAPI Taxonline é o resultado de uma Especialização Inteligente que observa, principalmente, uma contribuição na área prioritária de biotecnologia e saúde, também condicionada à transformação digital e a alguns elementos de desenvolvimento sustentável.

Entre as principais metas do NAPI estão a ampliação da identificação, reconhecimento e certificação do material científico depositado nas coleções. Também a organização e oferta de cursos de extensão em módulos para a formação de capacidade técnica em gerenciamento de coleções biológicas. Além da consolidação de um Centro de Referência de Culturas Microbiológicas no Estado do Paraná. 

A coordenadora do NAPI professora Luciane Marinoni apresentou o andamento dos trabalhos do Novo Arranjo de Pesquisa e da Rede Paranaense de Coleções Biológicas. “Temos importantes ações no que se refere à manutenção, organização e ampliação da informatização das coleções biológicas do NAPI, inclusive já criamos o portal do NAPI Taxonline integrado à Rede Taxonline. Estamos trabalhando para termos 100% das coleções com estruturação conhecida e mapeada em termos de infraestrutura e suas capacidades e necessidades”, explicou a coordenadora. 

Entre os resultados esperados a serem alcançados pelo NAPI Taxonline está a aproximação da sociedade às coleções biológicas e museus proporcionando acessibilidade ao conhecimento científico. Uma maior aplicabilidade do conhecimento científico em diversos setores da sociedade que demandam inovação e biotecnologia, objetivos que estão alinhados com o desafio trabalhado pela Fundação Araucária que é de serem implementados modelos de difusão do conhecimento produzido. 

Durante o evento online os pesquisadores apresentaram seus projetos de trabalho, acervos e também tiraram dúvidas sobre o uso dos recursos disponibilizados para as atividades do NAPI Taxonline. Mais informações sobre o trabalho da rede podem ser obtidas no site www.taxonline.bio.br .
 

Últimas Notícias