Cenário atual da CT&I no Brasil e Direitos Humanos são destaques do primeiro dia da 73ª Reunião Anual da SBPC
19/07/2021 - 21:16

Começou nesta segunda-feira, 19 de julho, a programação científica da 73ª Reunião Anual da SBPC. O dia também contou com sessões promovidas por sociedades científicas, dentre elas, a Associação Nacional de Pesquisa e Pós-graduação em Psicologia (ANPEPP), Associação Brasileira de Linguística (Abralin) e a Sociedade Brasileira de Toxinologia (SBTx). As atividades promovidas pela SBPC serão transmitidas pelo canal da entidade no YouTube: https://www.youtube.com/user/canalsbpc

No primeiro dia de programação científica, a SBPC realizou três painéis, das 9h às 11h. Intitulada “A CT&I no Brasil – Quadro Atual”, coordenado pelo presidente da entidade, Ildeu de Castro Moreira, contou com Tarcisio Pequeno, presidente da Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico (Funcap), Evaldo Ferreira Vilela, presidente do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), o deputado Alessandro Molon, Pedro Wongtschowski, da Mobilização Empresarial pela Inovação (MEI), e Jorge Almeida Guimarães, presidente da Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii).

Intitulado “Liberdade e direitos humanos”, o painel teve Fernanda Sobral, vice-presidente da SBPC , como coordenadora, e participação de Oscar Wilhena, diretor da Escola de Direito de São Paulo da Fundação Getulio Vargas (FGV), a jurista Deborah Macedo Duprat de Britto Pereira, vice-procuradora-geral da República de 2009 a 2013 e ex-procuradora-geral, Luís Felipe Miguel, professor titular livre do Instituto de Ciência Política da Universidade de Brasília, e Everaldo Patriota, da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

O terceiro painel promovido pela SBPC debateu a “Universidade pública e a pandemia do covid-19: produção de conhecimento para o benefício da sociedade”. Com Marcus Vinícius David, professor associado do Departamento de Finanças e Controladoria da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), na coordenação, a atividade terá a participação de Márcia Abrahão Moura, professora da Universidade de Brasília (UnB), Sandra Regina Goulart Almeida, reitora da  Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Edward Madureira Brasil, presidente da Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes), João Carlos Salles Pires da Silva, professor titular do Departamento de Filosofia da Universidade Federal da Bahia (UFBA), e Ricardo Marcelo Fonseca, professor titular de História do Direito do Departamento de Direito Privado da Universidade Federal do Paraná (UFPR).

A SBPC também realizou três mesas-redondas, das 9h às 11h. A mesa “Emergência climática, políticas ambientais e desafios à educação ambiental”, coordenada por Angélica Cosenza, professora da Faculdade de Educação da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), teve entre os palestrantes Paulo Eduardo Artaxo Netto, professor titular do Instituto de Física da USP e vice-presidente eleito da SBPC, Michele tomoko Sato, fundadora do Grupo Pesquisador em Educação Ambiental, Comunicação e Arte (GPEA) da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), e Philippe Pomier Layrargues, pesquisador do Laboratório de Investigações em Educação, Ambiente e Sociedade da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

“Diplomacia da inovação: oportunidades para o Brasil” é o tema da mesa coordenada por Guilherme Ary Plonski, professor titular da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade (Departamento de Administração) da USP. A atividade contará com a participação de Pedro Ivo Ferraz da Silva, do Itamaraty, Amâncio Jorge Silva Nunes de Oliveira, professor titular da USP, e Almas TAj Awan, da ZikaLab.

A terceira mesa-redonda “Epistemologia afrocentrada: desafios para a ciência” será coordenada por Julvan Moreira de Oliveira, professor do Departamento e do Programa de Pós-graduação em Educação da UFJF e teve entre os palestrantes, Anna Maria Canavarro Benite, professora associada IV da Universidade Federal de Goiás (UFG), Bas’ilele Molamalo, docente de graduação nos cursos das Relações Internacionais, Ciências sociais, Mestrado Interdisciplinar em Humanidades (MIH) do Instituto de Humanidades e Letras (IHL) da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab), e Hilton Pereira da Silva, docente do Programa de Pós-Graduação em Antropologia (PPGA) e do Mestrado em Saúde, Ambiente e Sociedade na Amazônia/Saúde Coletiva (PPGSAS) da Universidade Federal do Pará (UFPA).

Às 16h30, a SBPC realizou duas conferências: “Direitos Humanos das Mulheres: Uma conquista histórica”, proferida pelo juiz José Henrique Torres, da Associação Juízes para a Democracia (AJD), com apresentação de Rute Maria Gonçalves, de Andrade, conselheira da SBPC e pesquisadora  da Fundação Museu do Homem Americano (FUMDHAM). E, no mesmo horário, a professora titular e pesquisadora da área de Biologia Celular da UFJF, da Rossana Melo, fez a conferência “Microscopia como forma de arte e de divulgação científica”, com apresentação de Hélio Chiarini Garcia, professor da UFMG.

Na sessão de bate-papo, que aconteceu das 20h às 21h, a palestra “A violência na sociedade brasileira” foi proferida por Luiz Eduardo Bendo de Mello Soares, professor aposentado do Instituto de Ciências Sociais da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). Deborah Duprat, jurista e ex-procuradora federal dos Direitos do Cidadão do MPF, e Otávio Velho, professor emérito da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e presidente de honra da SBPC – ambos membros do Conselho do Observatório Pesquisa, Ciência e Liberdade, da SBPC -, serão os comentaristas.

O dia foi encerrado com a apresentação da websérie sobre “Samba na Intimidade”, às 21h30. De Roger Resende, cantor, compositor e violonista mineiro de Juiz de Fora, a série resgata a história de vida e a obra de compositores de samba da cidade com atuação destacada nas décadas de 1940 e 1950: dos pioneiros Alfredo Toschi e Djalma de Carvalho, ainda nos anos 1930, a João Cardoso, Ernani Ciuffo, Biné e Ministrinho. O músico apresenta o contexto de suas produções artísticas e interpreta composições enquanto percorre áreas históricas de Juiz de Fora. O projeto de Roger Resende foi um dos contemplados pelo Prêmio Janelas Abertas da Pró-reitoria de Cultura/UFJF.

Todas as informações e programações dos próximos dias estão disponíveis no site do evento: www.ra.sbpcnet.org.br/73ra

 

Fonte: SBPC.

Últimas Notícias