Cadeia automotiva se mobiliza para captar recursos e aumentar a competitividade do setor
23/08/2021 - 13:20

Sem recursos disponíveis não é possível investir em tecnologia, inovação e aumentar a competitividade. Por isso o Sistema Fiep, por meio do Conselho Setorial Automotivo, promoveu nesta terça-feira (24) um webinar sobre captação de recursos para investimentos de empresas de diferentes elos da cadeia produtiva. O evento virtual contou com a participação de executivos da Brose, Tuzzi, Senai-PR, ABGI e representantes da Fundação Araucária, Embrapii e Sindipeças.

“O objetivo é tratar do tema fomento dedicado à cadeia automotiva com aplicações bem práticas e promover a interação entre empresas que já utilizaram esses recursos para que tenham uma visão sistêmica de como utilizá-los”, explica o coordenador do Conselho Setorial Automotivo da Fiep e presidente da Brose, Max Forte. Além de mediar o debate, ele também apresentou um caso prático de utilização de benefícios fiscais de inovação. “A ideia é desmistificar o processo e mostrar que as empresas devem sim buscar oportunidades e recursos para inovar”, explica.

O segmento automotivo representa em torno de 10% do PIB industrial do Paraná e, junto com alimentos e petróleo, está entre os mais relevantes do estado. Com a produção industrial do estado acumulada nos seis primeiros meses deste ano em alta de 53% em relação ao primeiro semestre do ano passado, manter a competitividade neste cenário é uma busca constante. É pensando em manter o bom desempenho do setor no Paraná que executivos de montadoras, indústrias, fornecedores da cadeia automotiva e gestores de instituições e empresas de pesquisa e inovação se uniram para debater oportunidades de fomento e conhecer instrumentos e boas práticas no processo de captação de recursos.

O diretor de Ciência, Tecnologia e Inovação da Fundação Araucária, Luiz Spinosa, falou sobre as iniciativas da instituição voltadas ao setor automotivo como as parcerias com as empresas Renault e Volvo. Também destacou o NAPI (Novos Arranjos de Pesquisa e Inovação) Automotivo.

“Temos 477 doutores no Paraná com pesquisas voltadas ao setor automotivo e queremos usar esta massa crítica neste modelo de gestão que estamos trabalhando e que chamamos de Novo Arranjo de Pesquisa e Inovação (NAPI) Automotivo. Que é um modelo que mistura gestão e fomento ao mesmo tempo, contando com parcerias importantes com a academia, setor produtivo e Governo do Estado”, comentou. 

Alexandre Tuzzi, da Tuzzi Sistemas Automotivos mostrou como a empresa se tornou a primeira do agronegócio a ser beneficiada com recursos não-reembolsáveis do programa Finep 2030 Empresarial. Leonardo Tavares, gerente de inovação da ABGI falou de oportunidades de recursos financeiros disponíveis para inovação no setor automotivo. O gerente de pesquisa, desenvolvimento e inovação do Senai/PR, Rafael Trevisan, apresentou a rede dos Institutos Senai de Tecnologia e Inovação e principais incentivos do Senai no Programa Rota 2030. 

O evento foi transmitido e ficará disponível no Canal da Indústria no Youtube.


Dados do setor automotivo no Paraná: 
A Região Metropolitana de Curitiba abriga o segundo polo automotivo do Brasil, superado apenas por São Paulo. Daqui sai 15% da produção nacional de veículos. O setor é grande gerador de empregos formais, com quase de 37 mil trabalhadores ativos. Número superior ao registrado no fechamento de 2020, que foi de 35,7 mil contratados. O setor automotivo é o sexto que mais emprega na indústria de transformação do PR, representando 5,56% do total de 665 mil colaboradores formais do segmento. Os dados referem-se ao último levantamento divulgado pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Novo Caged), vinculado ao Ministério da Economia, em julho passado, com o resultado do primeiro semestre de 2021.
 
 

Últimas Notícias