Araucária, UFPR e UEM assinam acordo de cooperação com o Guangzhou Institute of Energy Conversion
20/12/2021 - 06:26

Com o objetivo de estimular o contato direto e a cooperação entre as instituições Guangzhou Institute of Energy Conversion -  Chinese Academy of Sciences (GIEC), Fundação Araucárias e as Universidades Federal do Paraná (UFPR) e Estadual de Maringá (UEM) assinaram nos últimos dias, o acordo de cooperação nas áreas de pesquisa, educação e capacitação com temas voltados às Energias Renováveis.

“A assinatura deste acordo de cooperação é um marco para a pesquisa paranaense, pois envolve importantes instituições tanto do lado brasileiro como do lado chinês que voltam  e aplicam seus trabalhos nas expertises englobando as energias renováveis”, ressaltou o presidente da Fundação Araucária, Ramiro Wahrhaftig.

O Instituto de Conversão de Energia de Guangzhou, Academia Chinesa de Ciências (GIEC), foi fundado em 1978, cujo antecessor era conhecido como Laboratório de Pesquisa de Energia Geotérmica de Guangdong. Em 1998, o instituto foi definido como o instituto base de pesquisa e desenvolvimento de alta tecnologia pelo CAS.

GIEC tem se dedicado totalmente à P&D de novas energias e energias renováveis, como energia de biomassa, energia solar, energia geotérmica, energia oceânica, hidrato de gás natural e etc. Além disso, a conservação de energia, tecnologias de proteção ambiental e pesquisa de estratégia energética também são aspectos que vêm exigindo grande atenção nos últimos anos.

“Conhecemos um pouco do grande potencial que o Brasil e mais especificamente o Paraná tem em pesquisas e que vão de encontro ao nosso trabalho no Fórum que foi realizado no mês de setembro deste ano. Portanto, é com muita satisfação que assinamos esse acordo de cooperação que trará benefícios para ambos os países”, enfatizou o presidente do Guangzhou Institute of Energy Conversion - Chinese Academy of Science, Jiancheng Lv.

O diretor científico, tecnológico e de inovação da Fundação Araucária Luiz Márcio Spinosa apresentou o potencial que o Paraná possui tanto nas mais variadas áreas de pesquisa que desenvolve como com relação aos recursos humanos existentes.

“Esse acordo com a China é uma oportunidade única de parceria de internacionalização com um dos países que mais desponta em termos de produção científica e tecnológica. Tem o papel de promover o desenvolvimento econômico, social e humano, nos quais o Paraná vem se habilitando, principalmente quando nos referimos à transformação digital e socioeconômica que irá enfrentar nos próximos anos”, destacou o diretor.

As cooperações poderão ser realizadas por meio dos programas conjuntos de investigação e formação de interesse comum nos domínios gerais das energias renováveis, na troca de informações e exploração  da possibilidade de intercâmbio de pessoal e estudantes de pós-graduação  e desenvolvimento de projetos em parceria e captação de recursos.

O Reitor da Universidade Federal do Paraná, Ricardo Marcelo Fonseca, destacou a importância de estabelecer parcerias. “As parcerias com os mais diferenciados segmentos e setores fortalecem e ampliam os nossos horizontes das pesquisas e iniciativas que desenvolvemos”.

O acordo de cooperação assinado prevê ainda a condução de seminários e  workshops em conjunto, transferência de tecnologia e identificação de outras áreas de possível interesse e colaboração.

“Esse memorando de entendimento é extremamente importante em diversos aspectos, pois é uma oportunidade de intercâmbio e troca de culturas diferentes, mas que englobam grupos altamente produtivos. É uma forma de colocar em sinergia o nosso sistema paranaense de ciência, tecnologia e inovação com um polo de destaque chinês e de uma área estratégica que é a energia de fontes renováveis”, sinalizou o Reitor da Universidade Estadual de Maringá, Júlio Cesar Damasceno.

GALERIA DE IMAGENS